Anvisa aprova venda do medicamento Paxlovid em farmácias


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta segunda-feira (21) a venda do Paxlovid, um medicamento para tratamento da Covid-19 para adultos, em farmácias e hospitais particulares. A compra só poderá ser feita com receita.

Assim, o fornecimento do medicamento para o mercado privado está autorizado, com a rotulagem e bula em português de Portugal e em espanhol. A Agência destacou, porém, que o fabricante deverá manter e priorizar o abastecimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

A aprovação aconteceu por unanimidade da diretoria colegiada do órgão, que também confirmou a ampliação da validade do medicamento de 12 meses para 18 meses.

Entenda como funciona o Paxlovid no tratamento da Covid-19.

“A aprovação levou em consideração a venda ao mercado privado do medicamento em outros países com autoridades internacionais de referência, como Estados Unidos e Canadá. A medida também considerou o cenário epidemiológico atual, com a circulação das novas subvariantes da Ômicron e o aumento de casos da doença no país”, explica a nota da Anvisa.

O medicamento deve ser tomado dentro de cinco dias após os sintomas. A diretora e relatora da peça, Meiruze Freitas, ressaltou, no entanto, que o remédio não substitui a vacinação, que “continua sendo a melhor estratégia para evitar a Covid-19, as hospitalizações e os óbitos”.

A Agência brasileira havia aprovado o uso emergencial do Paxlovid em março de 2022, e a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou sua utilização para pacientes com quadros leves e moderados em abril.

A Anvisa explica que o medicamento é “composto por comprimidos de nirmatrelvir e ritonavir embalados e administrados juntos”, indicado apenas para adultos “que não requerem oxigênio suplementar e que apresentam risco aumentado de progressão para Covid-19 grave”.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Anvisa aprova venda do medicamento Paxlovid em farmácias no site CNN Brasil.