O universo é muito grande para acharmos que estamos sozinhos, diz astrônoma


Onde estamos? Há vida fora da Terra? Como surgiu o universo? Questões como estas influenciaram o interesse da humanidade no espaço, desde o lançamento dos primeiros foguetes até, neste ano, do telescópio James Webb, o mais avançado do mundo.

Para discutir os próximos passos da exploração espacial e seus impactos, o CNN Nosso Mundo deste sábado (8) recebe Catarina Aydar, cientista formada em física, mestre em astronomia pela Universidade de São Paulo (USP) e, atualmente, doutoranda no Instituto Max Planck de Física Extraterrestre, na Alemanha.

“O telescópio James Webb nos ajuda a responder perguntas fundamentais para a humanidade, como “onde estamos”, “em qual momento estamos”, “será que tem vida fora da Terra”, “como surgiu o universo”. É um trabalho muito importante”, destaca.

“Acho que o universo é muito grande para termos a prepotência de acharmos que estamos sozinhos”, pontuou.

“A forma de vida como conhecemos é muito baseada no tipo de energia que recebemos do Sol, na configuração da nossa atmosfera. Se pensamos em outras condições, talvez existam outras formas de vida diferentes da nossa”, explicou.

Porém, conforme alertou Aydar, é preciso, em sua visão, ter um olhar cuidadoso em relação aos objetivos da exploração espacial e, por exemplo, do turismo espacial. Além disso, compreender as necessidades de investimentos na ciência, principalmente no Brasil.

A cientista advertiu ainda sobre a necessidade de fazer da astronomia um campo cada vez mais inclusivo, diverso e acessível.

Para saber mais sobre o assunto, assista ao programa deste sábado (8) no canal 577 e pelo YouTube da CNN Brasil.

CNN Nosso Mundo é exibido aos sábados, a partir das 23h45.

(publicado por Tiago Tortella, da CNN)

Este conteúdo foi originalmente publicado em O universo é muito grande para acharmos que estamos sozinhos, diz astrônoma no site CNN Brasil.