Pontífices que renunciam são humildes, diz papa Francisco


O papa Francisco, que muitas vezes disse que pode renunciar no futuro se problemas de saúde o impedirem de liderar a Igreja Católica, elogiou neste domingo (28) a humildade de um dos poucos papas da história a renunciar voluntariamente em vez de governar por toda a vida.

L’Aquila, a cidade central italiana que Francisco visitou brevemente, é o local de sepultamento de Celestino V, que renunciou ao cargo de papa em 1294 depois de apenas cinco meses para retornar à sua vida como eremita, estabelecendo uma prerrogativa papal.

O papa Bento XVI, que em 2013 se tornou o primeiro pontífice em cerca de 600 anos a renunciar voluntariamente, visitou L’Aquila quatro anos antes de deixar o cargo. No passado, Francisco também elogiou a coragem de Bento XVI.

Quando o Vaticano anunciou em junho a viagem de Francisco a L’Aquila – para inaugurar uma “festa do perdão” anual – alimentou especulações de que uma conjunção de eventos – incluindo a posse de novos cardeais no sábado (27) e reuniões começando na segunda-feira (29) sobre a nova constituição do Vaticano – poderia prenunciar um anúncio de renúncia.

No entanto, em uma entrevista exclusiva à Reuters no mês passado, Francisco, de 85 anos, riu da ideia, dizendo que “nunca me passou pela cabeça”, deixando aberta a possibilidade de que ele possa deixar o cargo por motivos de saúde em um futuro distante.

Na homilia de uma missa para milhares de pessoas em uma praça central, Francisco observou que, na Divina Comédia, Dante condenou Celestino por ter realizado o poeta chamado “A Grande Recusa”.

Mas Francisco, que rezou em silêncio diante do túmulo de Celestino, disse que ao abrir mão do poder, Celestino mostrou a força que vem da humildade.

“Aos olhos dos homens, os humildes são vistos como fracos e perdedores, mas, na realidade, são os verdadeiros vencedores porque são os únicos que confiam completamente no Senhor e conhecem sua vontade”, disse Francisco.

O papa, que usa cadeira de rodas e bengala nos últimos meses por causa de uma doença no joelho, sentou-se durante a maior parte da missa, mas leu sua homilia com voz forte e muitas vezes saiu do roteiro.

Ele contou à multidão como o piloto do helicóptero que o trouxe de Roma teve que circular por algum tempo por causa do nevoeiro espesso na área montanhosa antes de encontrar uma abertura na neblina. Ele comparou isso a aproveitar uma abertura de Deus na vida de alguém.

Embora Francisco tenha reprimido os rumores de que planeja renunciar em breve, a visita ressaltou a necessidade da Igreja Católica de regular o status dos pontífices que renunciam.

L’Aquila foi atingida por um terremoto devastador em 2009 que matou 309 pessoas, feriu mais de 1.500 e destruiu muitos edifícios.

No início da visita de domingo, Francisco vestiu um capacete cinza do corpo de bombeiros e foi levado pelas ruínas da catedral da cidade, que está sendo reconstruída.

 

Este conteúdo foi originalmente publicado em Pontífices que renunciam são humildes, diz papa Francisco no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.