Xi Jinping não me assusta, diz senadora americana em visita a Taiwan


A senadora norte-americana Marsha Blackburn tornou-se na quinta-feira (25) a mais recente membro do Congresso a visitar Taiwan, desafiando a pressão de Pequim, dizendo: “Não serei intimidada pela China comunista a dar as costas à ilha”.

A viagem de Blackburn, uma republicana do Tennessee que faz parte do Comitê de Serviços Armados do Senado, segue uma série de visitas recentes da presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, e de outras autoridades americanas.

“Taiwan é nosso parceiro mais forte na região do Indo-Pacífico. Visitas regulares de alto nível a Taipei são uma política de longa data dos EUA”, disse Blackburn em comunicado na quinta-feira.

A visita de Pelosi, que no início deste mês se tornou a autoridade de mais alto escalão dos EUA a pousar na ilha em 25 anos, foi citada por Pequim como o gatilho para vários dias de exercícios militares em larga escala nos quais a China disparou mísseis sobre Taiwan e voou ondas de aviões de guerra em sua zona de identificação de defesa aérea.

O Partido Comunista da China afirma que Taiwan faz parte de seu território, apesar de nunca tê-lo governado, e se recusou a descartar o uso da força para controlá-lo.

Os EUA não têm relações diplomáticas formais com Taiwan, mas são obrigados por lei a fornecer à ilha armas defensivas e permaneceram intencionalmente ambíguos sobre se interviriam militarmente no caso de um ataque chinês.

Em tuítes na manhã desta sexta-feira (26), a senadora dos EUA, que não representa o governo Biden, reiterou seu apoio a Taiwan.

“Eu nunca vou me curvar ao Partido Comunista Chinês”, disse ela. “Continuarei a apoiar os taiwaneses e o seu direito à liberdade e à democracia. Xi Jinping não me assusta”, acrescentou mais tarde, referindo-se ao líder da China.

Reunindo-se com a presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, na manhã de sexta-feira, Blackburn enfatizou os valores da democracia e da liberdade, que ela disse que Washington compartilha com Taiwan.

“É realmente importante que as nações que amam a liberdade apoiem Taiwan enquanto procuram apoiar a preservação de sua independência e liberdade”, disse Blackburn.

Tsai disse que as recentes visitas de figuras públicas dos EUA “reforçaram a determinação de Taiwan de se defender”.

“Esperamos continuar ajudando e apoiando Taiwan à medida que avançam como uma nação independente”, disse Blackburn.

Sob a política de longa data “Uma China”, os EUA reconhecem a posição de Pequim de que Taiwan é parte da China, mas nunca reconheceram oficialmente a reivindicação do Partido Comunista à ilha autônoma de 23 milhões de habitantes.

A senadora dos EUA também se encontrará com o secretário-geral do Conselho de Segurança Nacional, Wellington Koo, e com o ministro das Relações Exteriores, Joseph Wu, durante sua visita de três dias, informou o Ministério das Relações Exteriores de Taiwan.

A China não fez comentários imediatos sobre a visita de Blackburn, mas deixou claro sua raiva desde a visita de Pelosi com os exercícios militares e declarações dizendo que as ações dos políticos e das políticas governamentais dos EUA estão ameaçando o status quo no Estreito de Taiwan.

O Ministério das Relações Exteriores da China condenou Pelosi pelo que descreveu como suas “ações cruéis e provocativas”, dizendo que sua viagem a Taiwan significa “interferir seriamente nos assuntos internos da China”.

“A presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, insistiu em visitar Taiwan em desrespeito às sérias preocupações e firme oposição da China, interferindo seriamente nos assuntos internos da China, minando seriamente a soberania e a integridade territorial da China, atropelando seriamente o princípio de uma só China e ameaçando seriamente a paz e a estabilidade em todo o Estreito de Taiwan”, disse o ministério.

Gladys Tsai, em Taipei, e Alex Stambaugh, em Hong Kong, contribuíram para esta reportagem.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Xi Jinping não me assusta, diz senadora americana em visita a Taiwan no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.