Governo distribui cartilha religiosa a servidores da PRF


O governo federal tem distribuído uma cartilha religiosa a servidores da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O material, chamado “Pão Diário Segurança Pública”, traz palavras motivacionais e estímulo à leitura de salmos bíblicos, o que estaria causando polêmica na instituição policial.

Na avaliação de servidores da segurança pública, com os quais a CNN conversou, a cartilha mistura trabalho com religião, indo contra o princípio da laicidade. A PRF informou por meio de nota que a cartilha é “um projeto estratégico voltado à assistência espiritual” e que foi criada pela própria instituição “visando a saúde integral do servidor”.

A CNN teve acesso ao material. Ele ressalta que a assistência espiritual se deve aos “níveis de exposição das atividades laborais”, “impactando em uma relação direta na qualidade de vida dos profissionais de segurança pública”.

“É notório que a espiritualidade no ambiente de trabalho pode melhorar a qualidade de vida do profissional de segurança pública. Cumpre ressaltar que as colaborações desta natureza não ferem a laicidade do estado brasileiro”, diz o texto.

O material observa também que a iniciativa “propõe mobilizar a fé em prol do alcance da valorização da cultura organizacional”, assim como “fortalecer a união familiar” e “equilibrar as finanças pessoais”.

Ainda em nota, a PRF disse que “estudos científicos apontam que a saúde integral é composta por saúde física, mental e espiritual”. “Estatísticas apontam que o serviço gera a valorização dos direitos humanos.”

A PRF salientou também que a assistência espiritual já foi realizada em anos anteriores e que a iniciativa não gerou “nenhum custo para a corporação policial”.

Cartilha religiosa distribuída a servidores da PRF
Cartilha religiosa distribuída a servidores da PRF / Reprodução

“Ademais, nenhuma matriz religiosa está excluída”, ressaltou a corporação policial. “O serviço da capelania é sempre dirigido a partir da religião e espiritualidade do assistido”, destacou.

A PRF informou que entrou em contato com a ouvidoria da instituição e que não foi reportada nenhuma reclamação com o alegado constrangimento. “Não há coação para nenhum servidor participar de qualquer atividade de assistência espiritual”, explicou.

Procurado pela CNN, o Ministério da Justiça, pasta a que a PRF está subordinada, não respondeu até o momento.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Governo distribui cartilha religiosa a servidores da PRF no site CNN Brasil.