Coreia do Sul registra menor taxa de fertilidade do mundo


A Coreia do Sul quebrou seu próprio recorde de menor taxa de fertilidade do mundo, de acordo com números oficiais divulgados na quarta-feira (24), enquanto o país luta para reverter sua tendência de anos de declínio de nascimentos.

A taxa de fertilidade do país, que indica o número médio de filhos que uma mulher terá ao longo da vida, caiu para 0,81 em 2021 – 0,03% menor do que no ano anterior, de acordo com o Statistics Korea, administrado pelo governo.

Para colocar isso em perspectiva, a taxa de fertilidade de 2021 foi de 1,6 nos Estados Unidos e 1,3 no Japão, que também registrou sua menor taxa registrada no ano passado. Em alguns países africanos, onde as taxas de fecundidade são as mais altas do mundo, o número é de 5 ou 6.

Para manter uma população estável, os países precisam de uma taxa de fertilidade de 2,1 – qualquer coisa acima que indique crescimento populacional.

A taxa de natalidade da Coreia do Sul vem caindo desde 2015 e, em 2020, o país registrou mais mortes do que nascimentos pela primeira vez – o que significa que o número de habitantes encolheu, no que é chamado de “cruz da morte da população”.

E à medida que as taxas de fertilidade caem, as mulheres sul-coreanas também estão tendo bebês mais tarde na vida. A idade média das mulheres que deram à luz em 2021 foi de 33,4 a 0,2 anos a mais que no ano anterior, segundo a agência de estatísticas.

Enquanto isso, a população da Coreia do Sul também está envelhecendo, indicando um declínio demográfico que os especialistas temem deixar o país com muito poucas pessoas em idade ativa para sustentar sua crescente população idosa – tanto pagando impostos quanto preenchendo empregos em áreas como saúde e assistência domiciliar.

Em novembro passado, 16,8% dos sul-coreanos tinham mais de 65 anos, enquanto apenas 11,8% tinham 14 anos ou menos.

Essa proporção de coreanos idosos está aumentando rapidamente – aumentou mais de 5% entre 2020 e 2021, de acordo com dados do censo. Enquanto isso, a população em idade ativa – pessoas entre 15 e 64 anos – diminuiu 0,9% entre 2020 e 2021.

Na Coreia do Sul e no Japão, há razões semelhantes por trás do declínio nos nascimentos – incluindo culturas de trabalho exigentes, salários estagnados, aumento do custo de vida e preços de moradia em disparada.

Muitas mulheres sul-coreanas dizem que simplesmente não têm tempo, dinheiro ou capacidade emocional para ir a encontros, pois colocam sua carreira em primeiro lugar em um mercado de trabalho altamente competitivo, no qual muitas vezes enfrentam uma cultura patriarcal e desigualdade de gênero.

O governo sul-coreano introduziu várias medidas nos últimos anos para combater a queda da taxa de fertilidade, incluindo permitir que ambos os pais tirem licença parental ao mesmo tempo e estendendo a licença paterna remunerada.

Campanhas sociais incentivaram os homens a assumir um papel mais ativo nos cuidados com as crianças e no trabalho doméstico e, em algumas partes do país, as autoridades estão distribuindo “novos vales para bebês” para incentivar os pais a ter mais filhos.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Coreia do Sul registra menor taxa de fertilidade do mundo no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.