Colômbia suspende mandados de prisão a rebeldes para retomar negociações de paz


O novo presidente da Colômbia, Gustavo Petro, afirmou neste sábado (20) que está suspendendo mandados de prisão e pedidos de extradição a membros do grupo guerrilheiro de esquerda Exército de Libertação Nacional (ELN) na tentativa de retomar as negociações de paz e pôr fim a quase 60 anos de guerra.

O anúncio faz parte da principal promessa de campanha de Petro, ex-membro da guerrilha M-19, que assumiu o cargo em 7 de agosto prometendo estabelecer a “paz total” na Colômbia.

“Eu autorizei o restabelecimento dos protocolos, permitindo que os negociadores se reconectem novamente com sua organização, suspendendo mandados de prisão para esses negociadores, suspendendo ordens de extradição para esses negociadores, a fim de iniciar um diálogo com o Exército de Libertação Nacional”, disse Petro.

“Essa resolução inicia uma nova possibilidade de processo de paz na Colômbia”, disse Petro após participar de uma reunião do conselho de segurança na província de Bolívar.

Os representantes do ELN, fundado em 1964 por padres católicos radicais, permanecem em Cuba desde que as negociações anteriores, que começaram sob o governo de Juan Manuel Santos, foram canceladas em 2019.

O grupo disse logo após a eleição de Petro que está disposto a considerar as negociações.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Colômbia suspende mandados de prisão a rebeldes para retomar negociações de paz no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.