General Santos Cruz chefiará missão da ONU na Ucrânia


 

O general brasileiro da reserva do Exército Carlos Alberto Santos Cruz foi nomeado pelo secretário geral da ONU (Organização das Nações Unidas), António Guterres, para chefiar uma missão que irá apurar um bombardeio que ocorreu na prisão de Olenivka, na Ucrânia, no dia 29 de julho deste ano. A Ucrânia está sob ataque da Rússia desde 24 de fevereiro. O militar é ex-ministro da Secretaria do Governo de Jair Bolsonar (PL).

O caso que será investigado na missão comandada por Santos Cruz, é sobre uma ocasião em que os miltares ucranianos acusaram as forças russas de cometer um “crime de guerra”, mas o Ministério da Defesa da Rússia apontou a Ucrânia como responsável pelo ataque. Cerca de 40 prisioneiros morreram e mais outros 70 ficaram feridos.

Guterres afirmou que o que aconteceu no centro de detenção foi inaceitável. Ele lembrou que todos os prisioneiros de guerra têm de ser protegidos sob a Lei Humanitária Internacional. O chefe da ONU também afirmou que a Cruz Vermelha precisa ter acesso aos detentos.

Santos Cruz foi classificado como um “oficial respeitado” por Guterres durante seu pronunciamento feito hoje, durante uma coletiva de imprensa em Lviv, na Ucrânia. Ele estava acompanhado do presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

A ONU pede acesso irrestrito a pessoas, lugares e evidências sem que haja interferência externa na apuração. Segundo Guterres, “uma missão em busca dos fatos deve ter liberdade para achá-los”.

O ex-ministro da Secretaria de Governo tem mais de 40 anos de experiência militar em segurança pública nacional e internacional e foi líder de operações de paz da ONU no Haiti e na República Democrática do Congo.

De Brasília, Santos Cruz disse à ONU News que se sentiu muito honrado por ter seu nome considerado por Guterres.

“Eu tomei conhecimento agora de que o secretário-geral da ONU considerou o meu nome para cumprir uma tarefa na Ucrânia. Eu fico muito honrado e tenho a certeza de que os companheiros que irão também ser selecionados pelas Nações Unidas são pessoas da mais alta qualidade, e isso é uma grande garantia para o nosso trabalho, para que possamos ter um resultado positivo sobre o assunto que vai ser tratado”, afirmou o general da reserva.

O ex-ministro também produziu um relatório, conhecido como Santos Cruz Report, sobre o funcionamento de missões de paz pelo mundo.

40 anos de experiência

A missão de apuração dos fatos, a ser liderada pelo general brasileiro, foi um pedido dos governos da Ucrânia e da Rússia à ONU.

Os termos de funcionamento da missão serão compartilhados com ambos os países assim como a configuração da equipe.

Ao mencionar sua intenção de nomear Santos Cruz, Guterres disse que o militar é um oficial com mais de 40 anos de experiência em segurança pública e militar incluindo o comando de missões de paz.

Para o secretário-geral, é preciso continuar obtendo as garantias necessárias para o acesso seguro aos sítios e locais relevantes para a apuração do que ocorreu em 29 de julho.

Ele finalizou dizendo que uma missão de apuração dos fatos deve ser livre para encontrar os fatos, e que a equipe tem que poder recolher e analisar a informação necessária.

(Publicado por Carolina Farias)

Este conteúdo foi originalmente publicado em General Santos Cruz chefiará missão da ONU na Ucrânia no site CNN Brasil.