Candidatos à Presidência comentam influência paterna em suas formações


Carinho, admiração, respeito. Em alguns casos, saudade. A lembrança da figura paterna provoca os mais profundos sentimentos. O pai, nas mais diversas acepções, tem influência direta na construção da personalidade do filho, no desenvolvimento de seus interesses sociais e em sua formação ideológica.

Neste dia dos pais, a CNN questionou os candidatos à Presidência sobre a influência de seus pais em suas carreiras políticas e sobre a importância do Dia dos Pais:

Para o candidato do PDT, Ciro Gomes, seu pai, José Euclides Ferreira Gomes Júnior, é um exemplo de valores e solidariedade com os mais carentes.

“Meu pai é minha referência, é meu exemplo. Ele era professor quando saiu do Ceará e foi para São Paulo em busca de uma vida melhor. Lá, trabalhou como defensor público e conheceu minha mãe, também professora. Depois, ele retornou para a sua terra natal, Sobral, com a família. Mesmo enfrentando dificuldades conseguiu criar cinco filhos e me ensinou o valor dos estudos e da solidariedade aos mais carentes.”

O pedetista afirmou que o Dia dos Pais é uma oportunidade para relembrar e criar memórias afetivas.

“Esta é uma data para nos conectarmos com nossos pais e filhos, seja presencialmente ou espiritualmente. É um momento para lembrarmos ou criarmos boas memórias e histórias.”

Para a candidata do MDB, Simone Tebet, seu pai deixou como ensinamento a ética e a defesa da democracia. Ramez Tebet, foi uma figura histórica do MDB, deputado, senador e ministro de Fernando Henrique Cardoso. Ramez presidiu o Senado entre 2001 e 2003.

A senadora diz ter herdado uma série de características do pai, como a vocação para o diálogo e a firmeza nas convicções.

“O maior ensinamento que Ramez Tebet, meu pai, me deixou foi que os melhores caminhos são pavimentados pela ética, justiça social, democracia e pela busca do diálogo e convergência para o bem de todos. Vi dentro de casa, pela experiência dele, o exercício da boa política. Quem conheceu o meu pai destaca algumas características marcantes: vocação para o diálogo, firmeza nas convicções democráticas e amor pela Justiça. Muitas coisas eu herdei dele e tenho orgulho de seguir o seu exemplo, que guiam sempre o meu caminho, principalmente na política.”

Segundo a senadora, o dia dos pais é um momento para fortalecer as relações familiares e reavivar a importância do papel paterno, independente dos vínculos sanguíneos.

“Independentemente dos vínculos consanguíneos, pai é aquele que escolhe amar, educar, proteger e inspirar seus filhos. Por outro lado, é importante lembrar nesta data também que quase 57 mil recém-nascidos foram registrados sem o nome do pai neste ano de 2022, segundo levantamento da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil). É o maior número já alcançado no país de recém-nascidos identificados por mães solo. Nesse dia tão importante, vale uma reflexão sobre ampliarmos a consciência sobre o papel fundamental que os homens têm na criação dos filhos e construir uma cultura de paternidade responsável no nosso país.”

A candidata da União Brasil, Soraya Thronicke, por exemplo, perdeu o pai quando era criança. Ela diz ver em seu padrasto a figura de um “pai maravilhoso”.

Segundo a senadora, nesta data, é preciso lembrar dos pais que perderam seus filhos diante da pandemia de Covid-19.

“Nesta data também não podemos nos esquecer dos milhares de pais que perderam seus filhos e dos milhares de filhos que perderam seus pais para a maior crise sanitária deste século, a Covid-19, e para demais enfermidades que deveriam ter maior atenção por parte do governo federal. Impossível ignorar também os pais que hoje não conseguem levar o sustento para suas casas, por estarem desempregados, e todos os filhos que estão tendo de deixar a escola para trabalharem e garantirem o pão de cada dia de suas famílias.”

Soraya afirma que sempre foi incentivada pelo pai a cumprir com sua palavra e ser honesta.

“Meu pai foi extremamente importante na minha formação como cidadã, profissional e, também, na Política. Ele sempre me incentivou a ser e a fazer o melhor possível em tudo, ter honestidade e cumprir com minha palavra. É um grande homem e um grande ser humano.”

Felipe d’Avila, do Novo, descreve seu pai, Aluízio d’Avila, como alguém que “jamais perde a esperança”. O candidato diz que o pai o ensinou valores e ajudou a construir seu caráter.

“Ele me ensinou muito, especialmente a ter valores que regem minha vida e que me fazem ser quem sou: uma pessoa que acredita nas pessoas, nas oportunidades e que jamais perde a esperança. […] Quando criança, ele despertou em mim o gosto pelo esporte e pela competição. Na adolescência, me fez descobrir o prazer dos livros, principalmente da história e da filosofia.”

Para d’Avila, o Dia dos Pais é uma data de celebração.

“É sempre bom poder celebrar a data com um pai querido que teve grande influência na minha vida.”

A data, para Vera Lúcia, do PSTU, traz lembranças do último Dia dos Pais que passou ao lado de seu pai, Narciso Pereira da Silva. A candidata diz não ter fotos com ele, devido à origem humilde no sertão de Sergipe.

“Como não tínhamos dinheiro para lhe comprar presentes e mesmo sem ele ter cabelos brancos, eu e meus irmãos cantamos a música de Erasmo e Roberto Carlos ‘Meu querido, meu velho, meu amigo’, enquanto seus olhos brilhavam marejados de lágrimas de alegria. Ele amava a música, a poesia de cordel e dançar forró.”

“Ainda bem que foi por escrito. Eu não conseguiria fazer pessoalmente sem chorar. E sinto muitas saudades dele”, completa.

Vera Lúcia diz que, apesar de um estranhamento inicial, seu pai apoiou a decisão de entrar para a militância política e até prometeu ir a greves para ajudar.

“Sempre que eu queria alguma coisa que dependia de sua permissão, ele nunca dizia não, mas que tinha que convencê-lo com argumentos coerentes, essa era a condição. […] Quanto iniciei a militância política, primeiro perguntou para entender, quando entendeu, ficou ao meu lado. Na greve geral de 1991, ficou muito preocupado com a repressão policial e prometeu que na próxima greve iria comigo para ajudar. Não deu tempo.”

O Dia dos Pais para Leonardo Péricles, do UP, é uma data para relembrar. O candidato perdeu o pai, Francisco de Assis, aos 16 anos e pretende transmitir os ensinamentos dele aos próprios filhos.

“Uma data que traz muitas lembranças do meu pai, o Franscisco de Assis ou Chico Preto, que se foi em 1997. Hoje tento repassar para os meus filhos um pouco do que ele me ensinou, do exemplo que ele foi, completando com a experiência que adquiri na vida.”

Segundo Péricles, apesar de ter passado poucos anos ao lado do pai, aprendeu muito enquanto ser humano. O candidato afirma que teve com o pai o primeiro contato com a luta antirracista.

“O tempo foi suficiente para ajudar e muito na minha formação enquanto ser humano. Foi ele que me incentivou a entrar no Senai e fazer o curso de Mecânica de Manutenção de Máquinas Operatrizes, curso que foi fundamental para o meu contato com a indústria e com o mundo do trabalho. Ele estava muito feliz com meu primeiro mês de curso, quando morreu. Meu pai também foi meu primeiro contato com a luta antirracista, ele dizia: “quando estou tomando café e meus colegas me dizem: ‘cuidado Chico, você vai ficar mais preto!’, aí ele retrucava: ‘Tomo café é para não descolorir!’.”

O candidato do PTB, Roberto Jefferson, afirma que seu pai, Roberto Francisco, foi um “pai gigante”, um “marido apaixonado” e um “cristão fervoroso”.

A CNN também questionou Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Jair Bolsonaro (PL), Pablo Marçal (PROS), Sofia Manzano (PCB) e José Maria Eymael (DC) sobre a influência de seus pais em suas formações políticas e sobre a importância da data, mas não obteve resposta até o momento da publicação.

Debate

As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro.

O debate será transmitido ao vivo pela CNN na TV e por nossas plataformas digitais.

*Publicado por Renan Porto, com informações de Salma Freua

Este conteúdo foi originalmente publicado em Candidatos à Presidência comentam influência paterna em suas formações no site CNN Brasil.