Queda no diesel permite impacto positivo na inflação, diz presidente da Abicom


A segunda queda do preço do diesel em menos de duas semanas, anunciada na quinta-feira (11) pela Petrobras, fez o combustível ficar mais perto da paridade internacional, política adotada pela estatal em 2016.  Em entrevista à CNN, Sergio Araujo, presidente da Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis, afirmou que a queda no diesel permite impacto positivo na inflação.

O especialista explicou que a redução no custo do combustível impacta no longo prazo o preço no frete e nos produtos, como alimentos. Pelo Brasil ser um país voltado ao modal rodoviário, o efeito nos preços de bens e serviços deve ocorrer.

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCAregistrou deflação de 0,68% em no mês passado, com o acumulado em 12 meses caindo de 11,89% para 10,07%.

Ele alerta também que o país terá dificuldade na formação de estoque do combustível. Pois, a commodity produzida nos EUA e vendida no Golfo deve ser destinada à União Europeia, já que pode ocorrer uma maior demanda na região no segundo semestre.

O especialista diz ainda que a negociação entre o Brasil e outros países produtores do diesel demorava em torno de 2 a 3 dias, agora, está em torno de dez. E o transporte, que era de aproximadamente 20 dias, passou para cerca de 2 meses.

 

 

Este conteúdo foi originalmente publicado em Queda no diesel permite impacto positivo na inflação, diz presidente da Abicom no site CNN Brasil.