Pesquisas mostram que disputa entre Lula e Bolsonaro pode ter ‘reta final acirrada’, diz especialista


As pesquisas eleitorais recentes que mostram diminuição na distância entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) indicam uma “reta final acirrada”. É o que diz o professor da Fundação Dom Cabral, Bruno Carazza, em entrevista à CNN.

A Genial/Quaest divulgada nesta sexta-feira (12) verificou as intenções de voto para presidente no estado de Minas Gerais. O levantamento mostrou que Lula tem 42%, contra 33% do presidente Bolsonaro.

O especialista analisa também o impacto do avanço de Bolsonaro entre os eleitores evangélicos. De acordo com a mesma pesquisa, o presidente tem 48% das intenções de voto deste eleitorado, enquanto Lula tem 30%.

Carazza diz que o público evangélico é uma espécie de “intersecção” entre os dois principais recortes que Bolsonaro deve focalizar em sua campanha.

“Primeiro, ele precisa resgatar aquele eleitor que votou nele em 2018, mas de alguma forma, seja pela gestão da pandemia ou pela economia, acabou se decepcionando com ele. Então, Bolsonaro precisa resgatar esse eleitor. Aí entra a estratégia do discurso do antipetismo, do fantasma do comunismo e do discurso evangélico”, analisa.

Outro foco do presidente, segundo o professor, deve ser a população mais pobre, em especial as que residem no nordeste do país.

“O segundo é tentar reduzir a ampla frente que Lula tem em relação ao eleitor mais pobre. Aí ele usa todas as armas, lícitas e ilícitas até agora. como o aumento dos auxílios em período eleitoral, como a redução do preço dos combustíveis”, completa.

Debate

As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro.

O debate será transmitido ao vivo pela CNN na TV e por nossas plataformas digitais.

 

Este conteúdo foi originalmente publicado em Pesquisas mostram que disputa entre Lula e Bolsonaro pode ter ‘reta final acirrada’, diz especialista no site CNN Brasil.