Candidatos a presidente falam sobre o aumento dos salários no Judiciário


O Supremo Tribunal Federal (STF) aprovou por unanimidade, na quarta-feira (10), o orçamento de quase R$ 852 milhões da Corte para 2023 e a proposta de reajuste de 18% no salário de todos os servidores e magistrados da Justiça.

O aumento valeria para os salários dos próprios ministros do STF, que passariam de R$ 39.293,32 para mais de R$ 46 mil.

Para o reajuste dos salários ser aplicado, a proposta ainda precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional.

O último reajuste nos salários dos magistrados ocorreu há quatro anos, em 2018. Para os servidores, a última revisão ocorreu há seis anos, em 2016.

A CNN perguntou aos candidatos à Presidência da República o que eles pensam sobre o aumento dos salários no Judiciário.

Confira abaixo as respostas:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT):

O candidato não respondeu até o momento da publicação.

Jair Bolsonaro (PL):

O candidato não respondeu até o momento da publicação.

Ciro Gomes (PDT):

O candidato não respondeu até o momento da publicação.

Simone Tebet (MDB):

A candidata não respondeu até o momento da publicação.

Pablo Marçal (Pros):

O candidato não respondeu até o momento da publicação.

Felipe d’Avila (Novo):

Num país pobre, que enfrenta crise econômica, miséria e desemprego, um aumento desses é um absurdo. É mais uma vitória do corporativismo que toma conta de boa parte do nosso setor público, que sempre consegue garantir a sua parte, sem se importar com quem paga essa conta: os brasileiros. O “efeito cascata” torna esse aumento ainda mais nocivo, afetando diretamente as contas públicas.

José Maria Eymael (DC):

O teto constitucional para funcionários públicos é a remuneração dos Ministros do STF. Assim sendo o reajuste dos ministros do STF deve ter por norte a recomposição do seu valor em função do processo inflacionário.

Leonardo Péricles (UP):

O candidato não respondeu até o momento da publicação.

Roberto Jefferson (PTB):

O candidato não respondeu até o momento da publicação.

Sofia Manzano (PCB):

A candidata não respondeu até o momento da publicação.

Soraya Thronicke (União Brasil):

A candidata não respondeu até o momento da publicação.

Vera Lúcia (PSTU):

O aumento dos salários dos ministros é um escândalo. Um deboche diante dos milhões de trabalhadores que passam fome, não têm acesso a salário ou ao trabalho. Enquanto o dinheiro público que devia ir para as necessidades do povo, são enviados para a cúpula dos poderes.

É um absurdo que para os trabalhadores o salário mínimo não vem tendo aumento real nos últimos 4 anos. Enquanto não só os ministros do Supremo, mas também parlamentares e o presidente da República, não cansam de aumentar os próprios salários.

Isso também mostra como todo aquele papo de responsabilidade fiscal é usado só contra os trabalhadores. Já contra a cúpula dos poderes, que tem relação com os empresários e ricos, aí é tudo liberado.

Um salário para ministros do STF mais de 40 vezes maior que o salário mínimo é a comprovação de que no Brasil se privilegiam os ricos e poderosos e não o povo.

É preciso reduzir todos esses salários tanto do judiciário como dos parlamentares e executivo. E colocar esse dinheiro economizado para aumentar o salário mínimo já e garantir emprego para o povo.

Debate

As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro.

O debate será transmitido ao vivo pela CNN na TV e por nossas plataformas digitais.

Fotos – Os candidatos a presidente em 2022

Este conteúdo foi originalmente publicado em Candidatos a presidente falam sobre o aumento dos salários no Judiciário no site CNN Brasil.