Por que assistir “Continência ao Amor”, romance que não sai do Top 10 da Netflix


Novo filme da Netflix, “Continência do Amor”, conquistou os assinantes da plataforma de streaming de filmes. Desde a estreia, em 29 de julho, a produção não saiu do topo da lista de filmes mais assistidos da plataforma em diversos países do mundo, inclusive o Brasil.

O longa acompanha uma jovem aspirante a cantora que passa por problemas financeiros depois de descobrir que tem diabetes. Para conseguir um plano de saúde que cubra as despesas da doença, ela se casa com um militar. O casamento seria um benefício para os dois, pois ele também precisa pagar uma dívida do passado.

O filme é baseado no livro homônimo de Tess Wakefield e teve direção de Elizabeth Allen Rosenbaum (“A Cilada” e “Ramona Beezus”) e Ben Lewin (“As Sessões” e “Tudo Que eu Quero”).

A produção traz um nome forte no elenco: Sofia Carson. A atriz, revelada pela Disney e conhecida por sua participação em “Descendentes”, é a protagonista – ela também é a produtora executiva e responsável pela voz e composição de quatro músicas do longa.

É o segundo filme dela para a Netflix: “Feel The Beat”, de 2020, apresentou a atriz para os assinantes da plataforma.

Muito conhecida pelo público mais jovem, ela é o par romântico de Nicholas Galitzine, o príncipe Robert de “Cinderela”, adaptação do clássico lançado no ano passado no Prime Video.

Além dos dois, Linden Ashby, conhecido por “Mortal Kombat” e “Teen Wolf”, e Chosen Jacobs, de ‘It – A Coisa’, também estão na trama.

Romance

A história, de duas pessoas que se odeiam mas que acabam se apaixonando, mexeu com o público.

E apesar de ser um romance, a relação do casal também arrancou algumas lágrimas dos espectadores.

Músicas

A trilha sonora já soma mais de 10 milhões de streams na plataforma de música Spotify. O longa conta com quatro canções originais de Sofia Carson. A principal, “Come Back Home”, ganhou clipe na última semana.

 

Realidade X Ficção

O filme retrata o elevado custo do cuidado médico e a inexistência de um sistema público de saúde nos Estados Unidos.

Na história, Cassie não tem dinheiro para arcar com as despesas médicas que precisa, e precisa se casar com um militar para conseguir um plano de saúde.

Nas redes sociais, os usuários comentaram sobre esse recorte da trama e compararam com o Sistema Único de Saúde (SUS), do Brasil.

Assista ao trailer de “Continência ao amor”:

*Sob supervisão.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Por que assistir “Continência ao Amor”, romance que não sai do Top 10 da Netflix no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.