Moraes prorroga por mais 15 dias investigações contra homem que ameaçou STF e políticos


O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), prorrogou, nesta sexta-feira (5), por mais 15 dias o prazo para concluir as investigações contra Ivan Rejane Pinto, preso por divulgar informações falsas nas redes sociais contra ministros da Corte e políticos.

Na quinta-feira (4), a Polícia Federal (PF) fez o pedido a Moraes alegando que aguarda o término do procedimento pericial nos equipamentos apreendidos em poder do influenciador.

“Trata-se de requerimento, formulado pela Polícia Federal, de prorrogação de prazo para a conclusão da investigação, ao argumento de que ‘a presente investigação aguarda o término do procedimento pericial nos equipamentos apreendidos em poder de Ivan Rejane e a análise dos dados para colher elementos informativos relacionados aos fatos sob apuração’. É o relatório. Decido. Defiro o requerimento da Polícia Federal de dilação de prazo por 15 (quinze) dias”, diz o ministro.

Nesta semana, o ministro já havia decretado a prisão preventiva do homem. O ministro atendeu a um pedido da PF, que no último sábado havia alegado que ainda está analisando os bens apreendidos do homem, como telefone celular e computador.

Segundo a PF, o material apreendido contém elementos informativos que demonstram a prática de crimes.

Ivan Rejane Pinto foi preso pela PF em 22 de julho em Belo Horizonte, por decisão de Alexandre de Moraes, acusado de veicular informações falsas sobre a atuação da Corte.

Nas postagens em redes sociais que embasaram a prisão, o acusado fez diversos ataques ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e aos deputados federais Gleisi Hoffmann (PT) e Marcelo Freixo (PSB), além de criticar ministros do STF indicados pelo PT.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Moraes prorroga por mais 15 dias investigações contra homem que ameaçou STF e políticos no site CNN Brasil.