Não há evidências que a subvariante BA.5 cause sintomas mais graves, diz Fauci


Não há evidências de que a subvariante BA.5 do novo coronavírus cause infecções mais graves da Covid-19, mas como a variante Ômicron é mais transmissível e o número de casos é maior, o nível de hospitalizações e mortes está aumentando, disse o Dr. Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos, à CNN.

Fauci indicou que os EUA estão registrando entre 300 e 400 mortes por dia, o que “não é tão ruim quanto as 3.000 por dia que tivemos há vários meses, mas ainda é um nível inaceitavelmente alto de óbitos e hospitalizações”.

“Então temos que fazer melhor do que atualmente e isso não está acontecendo, porque há menos internações do que havia meses atrás e há essa sensação de que é normal e aceitável ter esse índice de infecção. Não é. Temos que fazer melhor”, disse.

O especialista enfatizou a importância de intervenções como testagem, manter-se atualizado sobre as vacinas contra Covid-19 e usar máscara quando recomendado para reduzir as chances de replicação e mutação da Covid-19 na comunidade.

“Ao retardar a circulação do vírus na comunidade por meio de vacinação, com dose de reforço e uso de máscara, quando apropriado, e testes para manter as pessoas infectadas separadas, você reduz a probabilidade de obter novas variantes”, afirmou Fauci.

“Em relação às vacinas, é importante que você as tome e não apenas um reforço, mas como existem mais variantes, atualizaremos o próximo nível de doses de reforço para que, quando chegarmos ao outono, seja muito provável que teremos uma vacina atualizada, que atende melhor a variante circulante naquele momento”.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Não há evidências que a subvariante BA.5 cause sintomas mais graves, diz Fauci no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.