De distração na pandemia aos campeonatos: jovem resolve 32 cubos mágicos


O que começou como um passatempo durante a pandemia para lidar com o isolamento tornou-se o grande amor de Maria Clara Rodrigues Garola, moradora de Santos (SP), de 14 anos. Ela se interessou por cubos mágicos como diversão e agora está competindo pelo país.

Em 2020, quando a pandemia da Covid-19 fez com que todos ficassem em casa, Maria Clara começou a se sentir agitada. A prática de esportes sempre fez parte da rotina dela, como explicou à CNN Rita Rodrigues, mãe da adolescente. Porém, a quarentena dificultou as atividades.

“Ela sempre estava fazendo alguma coisa. Quando entrou na pandemia, ela fazia judô e patinação. Mas com o isolamento, ela começou a ficar muito ansiosa. Ela comia os dedos, ficou com calos, se mordia, chorava, foi horrível”, disse.

Foi quando Maria Clara descobriu o interesse por cubos mágicos na internet. “Eu fui pesquisando, começando a me empolgar e eu gostei. E isso me ajudou muito”, disse a adolescente à CNN.

O cubo mágico é um brinquedo cujo objetivo é conseguir organizar as peças de mesma cor no mesmo lado — como um quebra-cabeça. Ele foi inventado pelo professor húngaro Erno Rubik, em 1974.

O objeto tridimensional possui diversas combinações que podem parecer infinitas e apenas uma é a correta.

Maria Clara ganhou o primeiro cubo mágico 3x3x3, tamanho padrão que se refere ao número de faces, no dia 12 de outubro (Dia das Crianças), e agora coleciona cerca de 32 objetos — com diferentes características, formas e dificuldades.

As variações podem incluir versões 2x2x2 (cubo de bolso), 4x4x4 (a vingança de Rubik) e 5x5x5 (cubo do professor), e o mais difícil, na avaliação da adolescente, o 7x7x7.

“Ele é o mais difícil, eu já montei e demorei dez minutos, mas o recorde feito por profissionais é muito menor”, disse Maria Clara.

Segundo a Associação Mundial de Cubo, o recorde mundial para o 7x7x7 foi estabelecido em 2019 pelo estadunidense Mark Park, com o tempo de 1 minuto, 40 segundos e 89 milésimos (1:40,89).

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Maria_Cubista_Oficial (@maria_cubista)

O recorde do cubo tradicional (3x3x3) impressiona ainda mais. Foi estabelecido num tempo de 3,47 segundos pelo chinês Yusheng Du, em 2018. Nesta modalidade, Maria Clara finaliza em 14 segundos.

A jovem treina diversas modalidades para futuras competições, como o pyraminx (em forma de pirâmide) e o skewb (montados na diagonal com peças em formatos de losango e triângulo).

“Eu não entendo nada”, confessa a mãe. “Mas acho legal e importante isso, o esporte, praticar uma atividade que pode trazer benefício”, completa.

Maria Clara coleciona 32 cubos mágicos diferentes / Arquivo pessoal / Rita Rodrigues Garola

Competições

De um passatempo, os treinos de Maria Clara e a vontade de participar de campeonatos a levaram para várias disputas. Rita conta que percebeu que a prática deixou de ser uma diversão quando a filha pediu para competir.

“Eu percebi que era diferente e eu comecei a comprar mais cubos. Ela vinha assim: ‘mãe, saiu um cubo novo’, e comprava, eu incentivo”, disse..

Hoje Maria Clara faz parte de grupos nas redes sociais com diversos amigos que têm interesse em comum. “Eles fazem chamadas de vídeos, compartilham as técnicas e ela passa horas treinando para competir”, explicou Rita.

A mãe dela conta que, por mais que tente acompanhar todos os campeonatos que a filha quer participar, nem sempre as viagens serão possíveis.

“É difícil, porque eu sou fotografa e cuido deles [Maria Clara e o irmão gêmeo] sozinha. Tenho algumas rifas, sorteios, alguns amigos ajudam”, disse ela.

Maria Clara, que pretende se aprimorar na modalidade para seguir carreira profissional, disse que está  empolgada com as viagens e a possibilidade de representar as mulheres no esporte.

“É muito legal, porque minha mãe que não era muito de viajar, agora vai para vários lugares comigo […] Eu não treino para ser a melhor, mas fazer parte do esporte feminino e tentar representar as mulheres”, disse.

Entre 22 a 24 de julho, acontecerá em Brasília a edição 2022 do Campeonato Sul-Americano Rubiks, no qual jovem irá marcar presença.

Este conteúdo foi originalmente publicado em De distração na pandemia aos campeonatos: jovem resolve 32 cubos mágicos no site CNN Brasil.