Ataques a tiros em bares na África do Sul deixam ao menos 19 mortos


Homens armados mataram 19 pessoas em dois tiroteios aparentemente aleatórios com poucas horas de diferença em bares na África do Sul, disse a polícia neste domingo (10), reforçando o status sombrio do país como um centro global de assassinatos.

Agressores armados com rifles e pistolas abriram fogo no bar Orlando East, no município de Soweto, na madrugada de domingo, matando 15 pessoas e ferindo nove, informou a polícia.

“Você pode ver pela forma como os cartuchos de bala são lançados ao redor que eles estavam apenas atirando aleatoriamente”, disse Elias Mawela, comissário de polícia da província de Gauteng.

Os dois filhos de Sololo Mjoli, Sthembiso, 34, Luyanda, 18, e ambos foram mortos no ataque no bar em um dos bairros mais pobres de Soweto, formado principalmente por barracos de chapas metálicas.

“Estou com o coração partido”, disse o jardineiro de 59 anos, acrescentando que a namorada de Stemibiso chegou ao local logo após o tiroteio para encontrá-lo ainda respirando.

“Então ele foi levado às pressas para o hospital, onde morreu.”

O garçom do bar Thobani Mhlabiso disse que se escondeu atrás da geladeira para sobreviver ao ataque.

Autoridades de segurança inspecionam local de ataque a tiro em Soweto, na África do Sul. / Anadolu Agency via Getty Images

“Havia sangue por toda parte”, disse ele .

A polícia confirmou um segundo tiroteio aparentemente aleatório horas antes, por volta das 20h30 de sábado, em uma taverna em Pietermaritzburg, 500 km a sudeste de Soweto, que viu quatro pessoas mortas e oito feridas.

Os policiais disseram não acreditar que os dois tiroteios estivessem ligados. Os assassinos de ambos os incidentes estão fugindo, de acordo com a polícia, que disse não estar claro quantos agressores estavam envolvidos em cada tiroteio.

A África do Sul, lar de cerca de 60 milhões de pessoas, é um dos países mais violentos do mundo, com 20 mil pessoas assassinadas todos os anos, uma das maiores taxas de homicídio per capita do mundo.

Existem cerca de 3 milhões de armas registradas no país, de acordo com o grupo de campanha Gun Free South Africa, embora muitos mais estejam circulando no mercado negro.

No local do tiroteio em Soweto, nos arredores de Joanesburgo, multidões se reuniram em torno do cordão policial enquanto os policiais vasculhavam a área em busca de pistas – um deles carregando sacos com zíper cheios de cartuchos de balas usados.

Soweto é o maior dos municípios negros do país. Eles foram criações do governo da minoria branca, que terminou em 1994 , mas cujo legado de pobreza generalizada, desemprego juvenil e violência persiste quase três décadas depois.

O comissário de polícia de Gauteng, Mawela, disse à Reuters que houve um terceiro tiroteio durante um suposto roubo em uma taverna em Katlehong, também nos arredores de Joanesburgo, na noite de quinta-feira, que matou duas pessoas e feriu outras duas.

O massacre em Soweto ocorre enquanto o país ainda lamenta a morte de 22 jovens – alguns deles com apenas 13 anos – que morreram em circunstâncias ainda inexplicáveis ​​em uma taverna no leste de Londres no mês passado.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Ataques a tiros em bares na África do Sul deixam ao menos 19 mortos no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.