Bolsonaro diz que paga preço “muito alto” por não “barganhar” ministérios e estatais


O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), afirmou que paga “um preço muito alto” por “não barganhar ministérios e estatais”. A declaração foi dada nesta sexta-feira (8) durante solenidade da entrega dos espadins aos cadetes da Força Aérea Brasileira, em Pirassununga, interior de São Paulo.

Apesar de o evento ter sido fechado para a imprensa, a fala do presidente foi transmitida em sua página oficial do Facebook.

“O Brasil não é mais o país do futuro, é o país do presente. Isso graças a muita das coisas que implementamos desde que assumimos a presidência. Não barganhamos ministérios, estatais ou bancos oficiais. Isso me faz pagar um preço muito alto que alguns ainda não entenderam. É o preço da democracia, disse.”

“Às vezes, me pergunto como o Brasil sobreviveu a tantos descalabros nas últimas décadas?”, completou Bolsonaro.

Bolsonaro ainda comentou a morte do ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, assassinado na noite de quinta-feira (7) durante discurso público.

“É o risco dos bons, é o preço por lutar pelo seu país, na maioria das vezes o inimigo está dentro da nossa pátria.”

O presidente decretou luto oficial de três dias no Brasil pela morte do ex-primeiro-ministro japonês.

Debate

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Bolsonaro diz que paga preço “muito alto” por não “barganhar” ministérios e estatais no site CNN Brasil.