Bolsonaro diz que Lula é “o mentor da morte de Celso Daniel”


O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quinta-feira (7) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é o “mentor da morte” do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel. O petista chamou Bolsonaro de “mentiroso” após a afirmação.

A declaração foi dada durante a live semanal desta quinta, enquanto Bolsonaro dizia que os ministros do STF Luís Roberto Barroso, Edson Fachin e Alexandre de Moraes, que são também integrantes do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), tentam favorecer o petista.

Bolsonaro não apresentou qualquer prova da acusação.

“Ninguém confia no Datafolha. Surpreendentemente, os três ministros do TSE confiam piamente no Datafolha. Não adianta falar que o outro lado está envolvido com as Farc, que o mentor da morte de Celso Daniel é o candidato deles, não vale nada.”

Celso Daniel foi assassinado em fevereiro de 2002, em Itapecerica da Serra, em São Paulo. O então prefeito petista havia sido escolhido para comandar a campanha de Lula à Presidência naquele ano.

À época, a Polícia Civil concluiu que Celso Daniel foi vítima de “crime comum”. No entanto, o Ministério Público afirmou que a versão não se sustenta. O ex-presidente nunca foi investigado formalmente pelo caso.

Na última pesquisa Datafolha para as eleições presidenciais, Lula aparece à frente de Bolsonaro nas intenções de voto, com 47% das intenções, contra 28% do atual presidente.

À CNN, a assessoria de Lula afirmou que Bolsonaro é mentiroso e que a acusação feita pelo presidente não tem embasamento.

“O senhor Bolsonaro é mundialmente reconhecido como um mentiroso, que fala coisas sem base ou prova nenhuma. Lamentamos a reprodução irresponsável das suas falas sem nenhuma base sobre os mais diversos assuntos – como pandemia e economia.”

A CNN também procurou a campanha do ex-presidente, seu advogado, Cristiano Zanin, e a direção do PT e aguarda retorno.

Sistema eleitoral

Durante a transmissão, Bolsonaro ainda criticou o presidente do TSE, Luiz Edson Fachin, por viajar a Washington, nos Estados Unidos, para falar sobre as eleições brasileiras. Na ocasião, o ministro disse que o Brasil pode ter um episódio mais grave do que a invasão ao Capitólio após o resultado do pleito.

Segundo Bolsonaro, Fachin adota essa postura porque “tem certeza” da vitória de Lula.

“Eu não entendo o que o Fachin vai fazer fora do Brasil dizendo que nós podemos ter um 6 de janeiro ainda pior. Se ele fala isso, é a certeza que o candidato dele, que ele tirou da cadeia, que é o Lula, vai ganhar. Ele tem certeza. Como é que pode ter essa certeza se tem muita água pela frente aí? Lamento prezado senhor Fachin, advogado do MST, logo o senhor que tirou Lula da cadeia e agora está à frente do processo eleitoral.”

O presidente afirmou também que vai convidar todos os embaixadores estrangeiros no Brasil para uma reunião em que pretende exibir um PowerPoint sobre as eleições brasileiras e sobre a atuação dos ministros Fachin, Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes.

“Vamos marcar, para a semana que vem, para eu conversar com todos os embaixadores aqui no Brasil. Será um convite para todos eles. O assunto será um PowerPoint, nada pessoal meu, para nós mostrarmos, tudo o que aconteceu nas eleições de 2014, 2018, documentado, bem como essas participações dos nossos três ministros do TSE sobre sistema eleitoral. Nada contra o TSE, tem pessoas maravilhosas lá dentro.”

Debate

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Bolsonaro diz que Lula é “o mentor da morte de Celso Daniel” no site CNN Brasil.