Entenda os impactos de dormir com seu animal de estimação


Na busca por um sono melhor, muitas pessoas perguntam-se se devem dividir a cama com um animal de estimação. Antes de chegarmos a isso, porém, é importante  parar e refletir sobre o outro lado dessa questão: dormir com você é bom para o seu animal de estimação?

“Adoro inverter a questão”, afirmou a veterinária-chefe da Comunidade Veterinária da América do Norte, Dana Varble. “Em geral, é muito bom que os animais durmam com seus tutores.”

Animais de estimação que compartilham a cama com um humano tendem a ter um “nível de confiança mais alto e um vínculo mais estreito com os humanos que estão em suas vidas. É uma grande demonstração de confiança da parte deles”, disse Varble.

“Cães e gatos que estão mais intimamente ligados aos seus humanos obtêm benefícios adicionais para a saúde, incluindo aumentos nos neurotransmissores benéficos como a oxitocina e a dopamina, os hormônios do bem-estar”, acrescentou ela.

São apenas os cães e os gatos que se beneficiam de ter parceiros de cama humanos? Sim, disse Varble, com “muito, muito poucas exceções”.

“Tenho um dono que tem um porco meticulosamente treinado que dorme ao pé da cama”, disse ela. “É um porco doméstico chamado Norbert — porcos são quase como cachorros porque são muito sociáveis.”

Prós e contras para os humanos

Com este assunto importante resolvido, vamos voltar para os humanos — é bom para o dono dormir com um animal de estimação? Os especialistas tradicionalmente dizem que não, porque você pode não conseguir ter um sono de qualidade.

“Os animais podem mover-se, latir e interromper o sono. O sono em cães (e gatos) não é contínuo e eles inevitavelmente vão se levantar e caminhar na cama, pisando nas pessoas. Toda essa atividade levará à fragmentação do sono”, disse Vsevolod Polotsky, diretor de investigação do sono e professor do departamento de medicina da Escola de Medicina da Universidade de Johns Hopkins.

Esses “microdespertares”, que podem acontecer sem que se tenha consciência deles, “são perturbadores porque o tiram do sono profundo”, disse Kristen Knutson, professora associada de neurologia e medicina preventiva da Escola de Medicina Feinberg da Universidade de Northwestern. “Eles têm sido associados à libertação do hormônio do stress, o cortisol, que pode tornar o sono ainda pior.”

Isso pode ser verdade para muitos humanos, mas estudos recentes mostraram que animais de estimação no quarto podem ser benéficos para alguns de nós.

“Pessoas com depressão ou ansiedade podem se beneficiar de ter o seu animal de estimação na cama, porque o animal é uma grande almofada, um grande cobertor, e podem sentir que aquela criatura peluda e fofinha diminui a sua ansiedade”, disse o especialista em sono Raj Dasgupta, professor assistente de medicina clínica na Keck School of Medicine da Universidade da Califórnia do Sul.

Dados recolhidos em 2017 pelo Centro de Medicina do Sono da Clínica Mayo em Phoenix revelaram que mais da metade dos donos de animais vistos na clínica permitiam que os seus animais dormissem no quarto — e a maioria considerou o seu animal de estimação “discreto ou, em algumas casos, até benéfico para o sono”.

Cerca de 20%, no entanto, acreditam que os seus amigos peludos pioram seu sono.

Outro estudo de 2017 colocou rastreadores de sono em cães e nos seus donos para medir a qualidade do repouso de ambos. Pessoas que tinham os cães nos seus quartos tiveram uma noite de sono decente (e os cães também), descobriu a equipa de investigação.

No entanto, a qualidade do sono diminuiu quando as pessoas moveram os seus cães do chão para a cama.

As crianças também podem beneficiar de dormir com um animal de estimação. Um estudo de 2021 pediu a adolescentes com idades entre 13 e 17 anos para usarem rastreadores de sono por duas semanas e depois passassem por um teste de sono de última geração. Cerca de um terço das crianças dormia com um animal de estimação, observou o estudo, o que não pareceu afetar a qualidade de seu descanso.

“Na verdade, pessoas que dormiam juntos com frequência mostraram perfis de sono semelhantes aos daqueles que nunca dormiram com os animais de estimação”, escreveram os autores.

“Tudo isso sugere que ter animais de estimação na cama ou no quarto não é necessariamente mau”, disse Bhanu Prakash Kolla, especialista em medicina do sono do Centro de Medicina do Sono da Clínica Mayo em Rochester, no Minnesota.

“Pode haver um conforto psicológico significativo por ter seu animal de estimação por perto, o que pode ajudar a iniciar e a manter o sono”, disse Kolla.

“No entanto, se os pacientes relatam que o movimento ou outras atividades do animal de estimação são perturbadoras para o seu sono, então aconselhamo-las a procurar soluções alternativas para o animal à noite e ver se isso ajuda com seu sono”, acrescentou.

Uma configuração para o sucesso

Dormir junto com o seu animal de estimação tem muito a ver com o quão profundamente você e o seu animal de estimação dormem, diz o psicólogo clínico e especialista em sono Michael Breus, autor de “Good Night: The Sleep Doctor’s 4-Week Program to Better Sleep and Better Health” (numa tradução livre, “Boa noite: o Programa de Quatro Semanas do Médico do Sono para Dormir Melhor e Melhorar a sua Saúde”.

“Os cães costumam ser bons para uma noite inteira, mas os gatos podem ser muito noturnos”, disse Breus, acrescentando ainda outro fator. “É o quanto vocês os dois se movem, já que o movimento do animal pode acordar o humano e vice-versa”.

Os animais de estimação, assim como as pessoas, também podem roncar e interromper o sono, portanto, tenha isso em consideração, disse Breus. Cães e gatos pequenos geralmente gostam de se aninhar sob as cobertas com os seus donos, mas isso pode aumentar a temperatura do corpo e atrapalhar o sono (a melhor temperatura para dormir é um pouco fria, a 18,3 graus Celsius).

Se está pensando em levar seu bebê de pelos para a cama, Breus sugere que experimente por algumas noites para não condicionar o seu animal de estimação antes de decidir se é bom para você.

Alguns de nós devem abster-se

Apesar da nova ciência, muitos de nós ainda precisamos de pensar duas vezes antes de colocar os nossos cães, gatos ou porcos domésticos nas nossas camas.

“É particularmente prejudicial para pessoas com insônias ou pacientes com outros distúrbios do sono — pacientes com fases do sono atrasadas (noctívagos) ou mesmo para pessoas com apneia do sono, que acordam da interrupção da respiração e não conseguem voltar a dormir”, disse Polotsky.

Até 30% do público norte-americano sofre de insônias, e pelo menos 25 milhões de adultos sofrem de apneia obstrutiva do sono, de acordo com a Academia Americana de Medicina do Sono.

“Pessoas com insônias são as mais suscetíveis”, disse Polotsky. “Dormir junto com os animais de estimação não predispõe ou precipita a insônia necessariamente, mas pode perpetuá-la.”

Sempre que os seus ciclos de sono são interrompidos, isso perturba a capacidade do cérebro de se reparar a um nível celular, de consolidar memórias, armazenar novas informações e preparar o corpo para um desempenho ideal.

O “ponto ideal” para um descanso adequado é quando se consegue dormir continuamente durante os quatro estágios do sono, entre quatro a seis vezes por noite. Como cada ciclo dura cerca de 90 minutos, a maioria das pessoas precisa de sete a oito horas de sono relativamente ininterrupto para atingir esse objetivo.

A falta crônica de descanso sólido, portanto, afeta a sua capacidade de prestar atenção, aprender coisas novas, ser criativo, resolver problemas e tomar decisões.

Fica ainda mais nebuloso: estudos descobriram que pessoas que têm despertares noturnos frequentes correm alto risco de desenvolver demência ou de morrer mais cedo de qualquer causa à medida que envelhecem.

Problemas respiratórios

Há outra razão pela qual ficar aconchegado com animais de estimação a noite toda pode não ser tão bom para a sua saúde. Se é um dos milhões de pessoas que sofrem de asma, alergia ou doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), dormir com uma bola de pelos pode tornar-se um pesadelo.

“Os meus pacientes com asma ou DPOC dizem sempre: ‘doutor, não se preocupe, o meu cachorro não solta pelos’”, conta Dasgupta, que também é pneumologista.

“E eu lhes digo: ‘Sim, mas lembre-se, os alergênicos estão na saliva, não estão na pele do cachorro. Então, ficará exposto aos alergênicos por oito horas à noite e ficará com os olhos lacrimejantes e o nariz entupido. Isto, juntamente com o movimento do animal, pode muito bem impedir que durma bem’”.

Alguns animais de estimação não devem se juntar à cama da família “obviamente, cachorros ou cães jovens que estão trabalhando com problemas de comportamento — pode não ser bom para eles dormirem com você”, disse Varble. “Se você tem um cachorro com ansiedade, ensinamos que os canis são um espaço seguro.”

“Canis fazem com que eles sintam que precisam apenas ‘se proteger’ de um ângulo. Queremos ensiná-los que existe um lugar seguro em sua casa”, disse ela.

E há alguns animais de estimação, disse Varble, que você nunca deve convidar para a cama para comer.

“Eu trabalho com animais de estimação exóticos e muitos deles têm requisitos de saúde e segurança muito específicos, incluindo estar em um recinto fechado”, disse Varble.

“Então, embora eu conheça pessoas que são muito próximas de seus furões e suas cobaias, eles precisam estar em seu recinto para sua saúde à noite. Esses não são animais que gostaríamos de ter na cama conosco.”

Este conteúdo foi originalmente publicado em Entenda os impactos de dormir com seu animal de estimação no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.