Nasa montará equipe para coletar dados sobre eventos não identificados no céu


A Nasa está montando uma equipe para estudar fenômenos aéreos não identificados (UAPs), popularmente conhecidos como OVNIS, disse a agência espacial dos EUA na quinta-feira (9).

A equipe reunirá dados sobre “eventos no céu que não podem ser identificados como aeronaves ou fenômenos naturais conhecidos — de uma perspectiva científica”, disse a agência.

A Nasa disse que estava interessada em fenômenos aéreos não identificados de uma perspectiva de segurança e proteção. Não há evidências de que os OVNIS sejam de origem extraterrestre, acrescentou a agência. O estudo começará no meio deste ano e deve durar nove meses.

“A Nasa acredita que as ferramentas de descoberta científica são poderosas e se aplicam aqui também”, disse Thomas Zurbuchen, administrador associado da Diretoria de Missões Científicas na sede da Nasa em Washington, DC.

“Temos acesso a uma ampla gama de observações da Terra a partir do espaço — e essa é a força vital da investigação científica. Temos as ferramentas e a equipe que podem nos ajudar a melhorar nossa compreensão do desconhecido. Essa é a própria definição do que é ciência. Isso é o que fazemos.”

A equipe será liderada pelo astrofísico David Spergel, que é presidente da Simons Foundation em Nova York.

A Nasa disse que o número limitado de observações de UAPs tornou difícil tirar conclusões científicas sobre a natureza de tais eventos.

“Dada a escassez de observações, nossa primeira tarefa é simplesmente reunir o conjunto mais robusto de dados que pudermos”, disse Spergel, professor emérito e ex-presidente do departamento de ciências astrofísicas da Universidade de Princeton, em Nova Jersey. “Vamos identificar quais dados — de civis, governo, organizações sem fins lucrativos, empresas — existem, o que mais devemos tentar coletar e como melhor analisá-los”.

Um primeiro passo para a equipe seria tentar estabelecer quais UAPs são naturais, disse a Nasa.

Em maio, legisladores realizaram a primeira audiência pública no Congresso sobre OVNIS em décadas. A audiência foi um momento de destaque para um tema polêmico que há muito foi relegado à margem das políticas públicas. Funcionários do governo alertaram que os UAPs devem ser investigados e levados a sério como uma ameaça potencial à segurança nacional. E um relatório sobre OVNIS divulgado no ano passado pela comunidade de inteligência dos EUA chamou muita atenção.

A busca pela vida

A Nasa há muito tem a tarefa de encontrar vida em outros lugares, e é por isso que os programas de astrobiologia fazem parte do foco da agência, disse Zurbuchen. O rover Perseverance está atualmente procurando por sinais de vida antiga que podem ter existido em Marte enquanto missões futuras estão sendo desenvolvidas para buscar sinais de vida em mundos oceânicos em nosso sistema solar. A agência procura explorar o desconhecido no ar e no espaço, disse Zurbuchen.

“Estamos procurando a questão de saber se certos ambientes são de fato parte, se você quiser, da escada da vida que nos levou até onde estamos”, disse ele durante entrevista coletiva na quinta-feira.

A agência abordará o estudo UAP como faria com qualquer outro estudo científico – pegando um campo pobre em dados e tornando-o digno de investigação e análise científica.

“Há muitas vezes em que algo que parecia quase mágico acabou se tornando um novo efeito científico”, disse Zurbuchen.

Dadas as questões de segurança nacional e segurança aérea que foram levantadas com os UAPs, os cientistas querem analisar as observações e estabelecer se elas são naturais ou precisam ser explicadas de outra forma.

Embora falar sobre UAPs em um ambiente científico tradicional possa ser menosprezado ou considerado algo não relacionado à ciência, Zurbuchen “se opõe veementemente a isso”.

“Eu realmente acredito que a qualidade da ciência não é medida apenas pelos resultados que vêm por trás dela, mas também pelas questões que estamos dispostos a enfrentar com a ciência”, disse ele.

Os funcionários da Nasa vêm pensando em como estudar os UAPs de maneira formal há muito tempo, mas queriam garantir que a abordassem da maneira certa, afirmou Zurbuchen. A qualidade da investigação científica deve ser a mesma, não importa o assunto.

Mas este estudo será totalmente não classificado e de domínio público, e a Diretoria de Missões Científicas da Nasa está liderando o ataque. Zurbuchen disse que não tinha conhecimento de qualquer exame sistemático anterior de dados de OVNIS pela Nasa.

A intenção do estudo é fazer uma proposta para um programa de pesquisa que possa ser implementado uma vez que os pesquisadores avaliem os dados que existem e devem ser revisados.

O relatório completo será disponibilizado ao público, e a equipe de pesquisa realizará uma reunião pública para discutir as descobertas, disse Daniel Evans, vice-administrador adjunto adjunto da Diretoria de Missões Científicas da Nasa, durante a entrevista coletiva.

Como os outros painéis de revisão de subsídios padrão da Nasa, o orçamento estimado para este projeto está entre algumas dezenas de milhares de dólares e não mais de US$ 100.000, disse Evans.

Embora seja difícil prever o que o estudo revelará, Spergel disse que “devemos estar abertos à ideia de que estamos observando vários fenômenos diferentes”.

“Acho que temos que abordar todas essas questões com um senso de humildade”, disse Spergel. “Passei a maior parte da minha carreira como cosmólogo. Posso lhe dizer, não sabemos o que compõe 95% do universo. Portanto, há coisas que não entendemos. Espero que este estudo nos leve adiante para entender melhor esses fenômenos. Mas no final das contas, podemos concluir que ainda não entendemos muitos aspectos deles e talvez tenhamos um roteiro sobre como progredir.”

Ross Levitt contribuiu para este relatório.

 

Este conteúdo foi originalmente publicado em Nasa montará equipe para coletar dados sobre eventos não identificados no céu no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.