Antonio Pintus, o preparador físico influente no sucesso do Real Madrid


Em 2016, quando Zinedine Zidane iniciou sua primeira temporada como treinador do Real Madrid, a diretoria atendeu um pedido: a contratação de Antonio Pintus. Italiano, formado em Atividade Física e Esporte pela Universidade Claude Bernard, de Lyon, conheceu e estreitou relacionamento com o ex-jogador francês entre 1996 e 1998, quando trabalharam juntos pela Juventus. A escolha pelo preparador físico deu início a um método de trabalho que elevou o elenco merengue ao domínio na Europa.

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

Depois de ser nome influente do trabalho físico madridista nos títulos da Liga dos Campeões de 2017 e 2018, seguidos por um 2019 sem brilho, o destino de Pintus foi a Inter de Milão. O trabalho terminou com o título italiano de 2021, que findou um hiato de 11 anos, e resultou em uma volta ao Real, para comandar o físico dos atletas nesta temporada. O título espanhol e a final de Champions já refletem o sucesso da trajetória.

Ele, agora, pode conquistar a terceira Liga dos Campeões. Real Madrid e Liverpool decidem a competição europeia neste sábado, 28, às 16h (de Brasília), no Stade de France.

‘O Método Pintus’

Carlo Ancelotti, treinador, e Antonio Pintus, preparador físico, são peças por trás do finalista da Champions – Divulgação/Real MadridReal Madrid/Divulgação

Conhecido como rígido no cotidiano, é um adepto da valorização do lado atlético de qualquer jogador. “A técnica faz a diferença, mas se você tem dois campeões no mesmo nível técnico, correr mais rápido é melhor. O talento é a base. O problema é, então, permanecer nesse estado tanto tempo quanto possível. E isso é apenas uma questão de trabalho”, declarou o profissional, durante passagem pelo Olympique de Marselha, em 2011.

Em seus trabalhos há como característica marcante fortes pré-temporadas e o foco em treinamentos aeróbicos (cerca de 45 minutos de corrida por dia). Pintus é apelidado por comandados de “Sargento de Ferro”. Segundo ele, seu método de trabalho é a preparação física para o alto nível. Ainda assim, reconhece as mudanças culturais entre os países, como disse em sua chegada ao Real Madrid, em 2017:

“A priori, existem diferentes metodologias em diferentes países. Eu trabalhei na Itália, na Inglaterra e na França. Eu tive a oportunidade de aprender. Trabalho com a bola é obviamente importante, mas assim como é o trabalho de prevenção, preparação e resposta. Vamos dizer que o meu método é a preparação física para a Europa”, afirmou na ocasião.

Ainda assim, mesmo com forte cobrança no trabalho diário, os elencos que passam pelas mãos de Pintus são adeptos das ideias. Em reportagem do jornal espanhol ABC, realizada em 2021, a figura do preparador é exaltada como elemento essencial no respeito dos atletas à metodologia.

Brandão, um brasileiro nas mãos de Pintus

Ex-centroavante catarinense com longa passagem pelo Shakhtar Donetsk e pelo futebol francês, Brandão é um dos brasileiros que trabalhou com Antonio Pintus. Vestindo a camisa do Olympique de Marselha, o atacante foi preparado pelo italiano na temporada 2010/11 e conversou com PLACAR sobre o método.

Antonio Pintus (à esquerda embaixo) e Brandão (à direita em cima) em treino pelo Olympique de Marselha –Brandão/Arquivo pessoal

“Claro que eu já passei por vários preparadores físicos, cada um com sua forma de agir, mas ele não está no Real Madrid por acaso”, disse o ex-jogador. Como confirmação à fama de rígido do responsável pelo físico do time merengue, Brandão ainda recordou sobre o hábito do italiano de cobrar disciplina até mesmo durante as férias.

“A gente vê muitos jogadores, principalmente brasileiros, que não treinam nas férias e voltam defasados. O Antonio cobrava muito essa parte. Eu mesmo não treinava em alguns períodos. Então quando eu voltava, ele já sabia. Aí me colocava para começar do zero a preparação na pré-temporada.”

Continua após a publicidade

O ex-atacante disse que Antonio Pintus tinha relatórios individuais dos jogadores e mantinha conversas próximas. Mesmo muito focado na cobrança, Brandão garantiu que tinha boa relação com o elenco.

“Uma curiosidade com ele aconteceu quando eu estava no banco e ele me chamou para o aquecimento, falando que pressentia um gol meu. Eu entrei e fiz. Aconteceu mais de uma vez, era um cara muito próximo dos atletas, isso com certeza ajuda”, lembra Brandão.

Veteranos de aço

O Real Madrid escalado para a final da Liga dos Campeões 2017/18 contra o Liverpool tinha: Keylor Navas; Carvajal, Varane, Sergio Ramos, Marcelo; Casemiro, Kroos, Modric; Isco, Benzema e Cristiano Ronaldo. Entre esses onze que conquistaram o último título europeu da equipe da capital espanhola, sete seguem no plantel. Cinco devem ser titulares na decisão deste sábado, 28, contra o mesmo rival.

Passaram-se quatro anos. Carvajal, Casemiro e Isco (hoje reserva) chegaram aos 30 anos, Benzema e Marcelo (o brasileiro perdeu espaço) têm 34, Modric fez 36 e Kroos alcançou 32. O rendimento dos que seguem atuando na equipe titular, no entanto, não caiu e alguns casos apresentam, inclusive, melhora perceptiva.

Pilares do meio-campo madridista, Luka Modric e Toni Kroos não perderam tempo de atuação conforme a idade foi avançando. O croata e o alemão atuaram 44 vezes nesta temporada, número equivalente a 80% dos jogos da equipe. Eleito melhor jogador do mundo pela Fifa em 2018, Modric tem em 2021/22 números superiores aos do ano premiado: anotou três gols e 12 assistências, contra dois gols e oito assistências. Reflexo do trabalho preparatório de Antonio Pintus.

O trabalho exaustivo físico de Pintus também mostra seus resultados em Karim Benzema. Sem histórico de grandes lesões durante a carreira, o atacante não é um caso de recuperação, mas sim de revolução.

Aos 34 anos, o francês faz a temporada mais goleadora de toda sua carreira, com 44 gols em 45 jogos, e briga pela Bola de Ouro, com chances reais de premiação. O camisa 9 do Real Madrid participou de 81% das partidas do clube desde agosto de 2021.

Benzema marcou quatro gols nas quartas de final –Juanjo Martín/EFE

Outro ponto que coloca Antonio Pintus em um alto patamar é a baixa incidência de lesões graves. De acordo com levantamento de PLACAR, na temporada o Real Madrid contou com nove casos de problemas físicos que tiraram o atleta de cinco ou mais rodadas do Campeonato Espanhol. Também na Liga dos Campeões, em essencial na fase final, apenas Eden Hazard, reserva, desfalcou a equipe em três ou mais partidas.

Para a decisão da Champions contra o Liverpool, o Real deve ter todos os principais jogadores disponíveis. O defensor David Alaba, sem atuar desde 26 de abril, está recuperado e foi confirmado na decisão pelo treinador Carlo Ancelotti.

O 14º título do torneio pode ter novamente as digitais do trabalho de um menos conhecido, mas também heroi chamado Antonio Pintus.

Ainda não assina Star+?! Clique aqui para se inscrever e ter acesso a jogos ao vivo, séries originais e programas exclusivos da ESPN

Continua após a publicidade


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.