Mário Fernandes cita cansaço e faz pausa na carreira aos 31 anos


O lateral-direito Mário Fernandes, do CSKA Moscou, anunciou nesta quarta-feira, 18, que deixará o clube russo após dez anos. O brasileiro naturalizado russo de 31 anos alegou cansaço e motivações familiares para a decisão – ele deseja acompanhar de perto o nascimento do primeiro filho. O contrato, válido até 30 de junho de 2024, será suspenso por tempo indeterminado.

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca

“Nos últimos anos estou muito cansado. São 13 anos como jogador profissional, dez anos jogando aqui na Rússia, no CSKA. É bastante tempo e, agora, é o momento de ficar com a minha família. O meu filho vai nascer entre setembro e outubro e queria acompanhar o nascimento dele, também. Pedi para conversar com o presidente e com o diretoria para que pudessem me liberar para passar um tempo no Brasil. Agradeço a eles por terem aceitado, por terem me tratado como um filho”, disse o jogador em comunicado publicado pelo CSKA nas redes sociais.

Fernandes chegou ao CSKA em 2012 por 15 milhões de euros, sendo metade deste montante para o Grêmio. No período, ele fez 328 jogos e marcou 10 gols pelo clube, com sete títulos conquistados. Também atuou em 34 jogos e marcou cinco gols pela seleção russa, participando como titular da Copa de 2018, sediada no país.

Continua após a publicidade

O jogador também esclareceu que a decisão não foi motivada pelas sanções geradas pela invasão da Rússia a Ucrânia, iniciada há 84 dias.

Zenit, CSKA Moscou, Dínamo Moscou e Sochi – clubes da elite do futebol russo – anunciaram no último dia 13 terem entrado com recurso no Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), órgão independente que funciona como uma espécie de corte suprema na qual são julgados os casos relativos ao esporte, para reaver a decisão da Uefa de excluir as seleções masculina e feminina da Rússia e os clubes do país das competições organizadas pela entidade na temporada 2022/23.

Mario Fernandes chegou a servir a seleção brasileira –Heuler Andrey/Mowa Press

“Depois do jogo contra o Rostov irei ao Brasil. O meu contrato ficará suspenso e se no Brasil eu sentir que ainda posso ajudar o CSKA voltarei ao clube, mas que fique bem claro: não estou saindo por problema político na Rússia, por dinheiro, mas porque quero passar um tempo com minha família e descansar. E o CSKA sempre estará no meu coração e sempre será o primeiro”, completou em outro momento.

Mário Fernandes ficou marcado pela recusa à seleção brasileira em 2011 alegando estar focado em seu clube e que, naquele momento, não se apresentaria para jogar pelo país. Em nota, o jogador disse à época que a decisão acontecia “em decorrência de problemas particulares responsáveis por uma alta carga de estresse”.

Ainda não assina Star+?! Clique aqui para se inscrever e ter acesso a jogos ao vivo, séries originais e programas exclusivos da ESPN!

Continua após a publicidade


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.