Covid-19: Número de mortos pode ser três vezes maior do que o oficial, diz OMS


Cerca de 14,9 milhões de pessoas em todo o mundo morreram como resultado direto ou indireto da Covid-19 no período entre 1º de janeiro de 2020 e 31 de dezembro de 2021, segundo novas estimativas da Organização Mundial da Saúde – quase três vezes mais mortes do que foram informados oficialmente.

Houve 5,4 milhões de mortes por Covid-19 relatadas à OMS durante esse período, resultando em uma estimativa de mortalidade excessiva de 9,5 milhões de mortes a mais do que o relatado.

“O excesso de mortalidade é a diferença entre o número de mortes que foram registradas e aquelas que seriam esperadas na ausência da pandemia”, disse Samira Asma, diretora-geral assistente da Divisão de Dados, Análise e Entrega para Impacto da OMS.

As 14,9 milhões de mortes incluem “mortes atribuídas diretamente ao Covid-19 que foram relatadas à OMS, mortes atribuídas diretamente ao Covid-19 que não foram contadas ou relatadas”, explicou Asma. O número também subtrai todas as mortes que foram evitadas devido a mudanças nos comportamentos sociais, como menos mortes em acidentes de carro devido a bloqueios ou restrições de viagem.

O intervalo estimado de excesso de mortes foi de 13,3 milhões a 16,6 milhões no período de 24 meses, de acordo com a metodologia utilizada no relatório da OMS.

Essa métrica pinta uma imagem mais completa da extensão da pandemia e pode ser usada para orientar e implementar políticas de saúde pública, segundo Asma.

“Quando subestimamos, podemos subinvestir. E quando subestimamos, podemos deixar de direcionar as intervenções onde elas são mais necessárias, e isso também aprofunda as desigualdades”, disse ela.

William Msemburi, oficial técnico do Departamento de Dados e Análise da OMS, disse que cerca de 57% das mortes em excesso ocorreram em homens e 82% em pessoas com mais de 60 anos.

Quase 70% do excesso de mortes se concentrou em 10 países, disse Msemburi, incluindo os Estados Unidos.

Em abril, o Ministério da Saúde indiano contestou o excesso de estimativas de dados da OMS para aquele país, chamando os dados de “questionáveis” em um comunicado no Twitter.

Msemburi disse que a Índia registrou 481 mil mortes por Covid-19 no período de 24 meses – mas a metodologia da OMS mostra que houve quase 10 vezes mais, estimando 4,74 milhões de mortes em excesso, com uma faixa de 3,3 milhões a 6,5 ​​milhões de mortes em excesso.

A CNN entrou em contato com o Ministério da Saúde da Índia para comentar sobre o relatório, mas não teve resposta imediata. Segundo o Ministério da Saúde da Índia, 523.975 pessoas morreram devido à Covid-19 desde o início da pandemia.

Em um briefing na quarta-feira, Asma disse que a OMS continuará a se envolver com a Índia para chegar a um “consenso mútuo em relação às diferentes estimativas” nos dados.

Somnath Chatterji, consultor sênior do Departamento de Dados e Análise, enfatizou a importância dos números de excesso de mortalidade no relatório da OMS.

“Estes não são números por uma questão de números”, disse Chatterji, observando que, além do número de mortes diretamente atribuíveis ao Covid-19, os dados “estimam os danos colaterais que ocorreram por causa do Covid, por causa de interrupções nos serviços de saúde.”

“Então, se esses números fossem rastreados em tempo hábil, na verdade, os governos teriam sido capazes de conduzir intervenções para as pessoas certas, na hora certa e no lugar certo, certo? O que claramente não aconteceu, e é por isso que estamos vendo essas mortes em excesso”, disse ele.

“Esses dados preocupantes não apenas apontam para o impacto da pandemia, mas também para a necessidade de todos os países investirem em sistemas de saúde mais resilientes que possam sustentar serviços essenciais de saúde durante crises, incluindo sistemas de informação de saúde mais fortes”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom.

Ghebreyesus disse em um comunicado à imprensa. “A OMS está empenhada em trabalhar com todos os países para fortalecer seus sistemas de informação de saúde para gerar melhores dados para melhores decisões e melhores resultados”.

 

Este conteúdo foi originalmente publicado em Covid-19: Número de mortos pode ser três vezes maior do que o oficial, diz OMS no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.