Polícia Civil investiga denúncia de injúria racial contra entregador no Rio


A Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga uma denúncia de injúria racial contra um entregador em Itaipu, Niterói, cidade da região metropolitana do estado fluminense. A CNN teve acesso a um vídeo em que uma defensora pública aposentada chama o homem de ‘macaco’. O caso foi registrado na delegacia como injúria por preconceito.

Em nota, a Polícia Civil informou à CNN que imagens de câmeras de segurança foram solicitadas e a autora será intimada para prestar esclarecimentos.

De acordo com o boletim de ocorrência, realizado nesta terça-feira (3), o caso teve início quando Eduardo Peçanha e mais um colega faziam entrega em um condomínio de luxo e estacionaram um caminhão em frente à garagem da ex-defensora. A mulher, por sua vez, segundo os relatos, pediu que o veículo fosse retirado da entrada da residência, o que não foi prontamente atendido pelos entregadores.

Joab Gama de Souza, advogado responsável pela defesa das vítimas, afirmou que a espera pela retirada do caminhão durou apenas alguns minutos. Ele explica que o motorista do veículo fazia uma entrega em uma residência vizinha e, por isso, não retirou imediatamente. Ainda segundo o advogado, o entregador que ficou no caminhão não tinha carteira de motorista para remover o veículo do local, dando início à discussão.

“A mulher pediu que o veículo fosse removido da garagem. O ajudante respondeu que ele precisaria esperar o motorista chegar, porque ele não era capacitado para dirigir. Logo em seguida, ela perdeu o controle e começou a ofender os trabalhadores. Ela chamou os dois de ‘macacos’. Em seguida, ela começou a jogar objetos na direção da van. Fizemos o registro de ocorrência e esperamos que o caso seja designado para uma delegacia especializada”, contouJoab Gama.

O caso, que aconteceu no último sábado (30), também é acompanhado pela Comissão de Combate às Discriminações e Preconceitos de Raça, Cor, Etnia e Religião da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Por meio do advogado Daniel Vargas, a comissão oficiou a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), para que se junte às investigações da denúncia.

À CNN, Daniel Vargas também confirmou que a ex-defensora tentou quebrar o retrovisor do caminhão antes de chamar o funcionário de ‘macaco’.

Em nota, a Defensoria Pública do Rio de Janeiro informou que é “absolutamente contrária a qualquer forma de discriminação”, e que tem coordenações atuantes nesses tipos de caso. O órgão, por fim, destaca que a mulher do vídeo “está aposentada desde novembro de 2016”.

Em comunicado oficial, a Polícia Civil afirmou que pediu imagens de câmeras de segurança para a melhor investigação do caso. A nota também diz que a autora será intimada para prestar esclarecimentos.

A CNN ainda não conseguiu contato com a defesa da ex-defensora pública.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Polícia Civil investiga denúncia de injúria racial contra entregador no Rio no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.