Caso Henry Borel: Monique e Jairinho vão prestar novos depoimentos em junho


Foram marcados para o próximo dia 1º de junho, os novos depoimentos do ex-vereador Dr. Jairinho, e de Monique Medeiros, ambos réus no processo pela morte do Henry Borel, de quarto anos. A sessão está prevista para começar às 9h30, e foi agendada pelo juíz em exercício da 2ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, Daniel Werneck Cotta.

Além de Jairinho e Monique, que está em prisão domiciliar há um mês, no mesmo dia também serão ouvidos os peritos criminais Leonardo Tauil e o assistente técnico Sami El Jundi, indicado pelos advogados de Jairinho.

“Estamos ainda no meio do curso do processo e não tenho dúvida de que muitas novidades surgirão deste caso”, disse um dos defensores do ex-vereador, Cláudio Dalledone.

Dr. Jairinho e a ex-companheira dele, a professora Monique Medeiros respondem a vários crimes relacionados à morte de Henry Borel. O menino morreu no dia 8 de março do ano passado, depois de ser torturado no apartamento em que morava na Barra da Tijuca, Zona Oeste da capital fluminense.

Prisão domiciliar

No último dia 5 de abril, a juíza Elizabeth Machado Louro, da 2ª Vara Criminal da capital, atendeu a um pedido feito pela defesa de Monique e substituiu a prisão preventiva por domiciliar, com o uso de tornozeleira eletrônica, e implementação de medidas cautelares.

O Ministério Público recorre da decisão, para que a professora retorne para o presídio.

No pedido feito à Justiça, a defesa alegou que Monique, que estava presa há cerca de um ano, vinha sendo vítima de violência e intimidações por parte se outras detentas no presídio em que estava.

Na mesma decisão, a Justiça manteve a prisão preventiva de Jairinho, que responde por homicídio, tortura, coação de testemunha, fraude processual e falsidade ideológica.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Caso Henry Borel: Monique e Jairinho vão prestar novos depoimentos em junho no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.