Câmara aprova urgência de projeto que proíbe edição ou adaptação da Bíblia


O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (4) a urgência de um projeto de lei que proíbe qualquer alteração, edição ou adição aos textos da Bíblia.

O texto foi apresentado pelo deputado federal Sargento Isidório (Avante-BA) em agosto de 2019. Ele é conhecido por andar com uma Bíblia ou placa com manifestações políticas nas mãos pelo Parlamento.

O projeto conta com apenas um parágrafo principal. O texto diz que fica “vedada qualquer alteração, edição ou adição aos textos da Bíblia Sagrada, composta pelo Antigo e pelo Novo Testamento em seus capítulos ou versículos, sendo garantida a pregação do seu conteúdo em todo território nacional”.

Na justificativa do projeto, Sargento Isidório diz que qualquer alteração na redação da Bíblia pode configurar intolerância religiosa e até uma “grande ofensa para a maioria dos brasileiros, independente da sua religião”.

“Por isso, nossa legítima preocupação em tombar esse texto sagrado através do Parlamento Federal, garantindo uma vez por todas, a inviolabilidade de sua redação e sua explanação pública no Brasil”, complementa o texto.

Ele cita a diferente quantidade de livros, capítulos e versículos entre a Bíblia evangélica e a Bíblia Católica, mas defende que “pode-se afirmar, sem medo de errar, que todos creem na existência de um Deus Soberano”.

Ao todo, 17 deputados assinaram o requerimento em apoio à urgência na tramitação do projeto. A maioria é formada por líderes partidários, entre eles do Avante, PL, PCdoB, PSC, PSD e PSDB.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Câmara aprova urgência de projeto que proíbe edição ou adaptação da Bíblia no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.