“Temos a falsa segurança que estamos livres das doenças”, diz Queiroga


O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participou nesta sexta-feira (29), em João Pessoa (PB), da mobilização para o Dia D da vacinação contra a gripe e o sarampo. No evento, Queiroga ressaltou a importância da imunização e disse que “temos a falsa segurança” de estarmos livres dessas doenças.

“Há cerca de uma década a cobertura vacinal no mundo vem caindo. Isso é um fenômeno até paradoxal, porque como tivemos sucesso no enfrentamento a essas doenças evitáveis por vacinas, nós temos a falsa segurança que estamos livres dessas doenças, mas não estamos. Para isso temos que buscar as Unidades Básicas de Saúde [UBSs] para atualizar o calendário vacinal todos os anos”, disse o ministro.

Queiroga ressaltou que o governo tem priorizado a vacinação, nas apenas contra a Covid-19, mas as que abrangem todo o Plano Nacional de Imunização (PNI).

“É fundamental que todos que estejam nos grupos alvo dessa campanha procurem nossas as Unidades Básicas de Saúde. Lá encontrarão as vacinas e encontrarão profissionais de saúde capacitados e qualificados para vacinar a nossa população. O governo federal tem priorizado as vacinas, não só contra a Covid, mas todas as vacinas regulares do Plano Nacional de Imunização”, afirmou.

De acordo com o ministro, a atual campanha de vacinação contra a gripe custou R$ 1,2 bilhão ao governo e a de sarampo, R$ 280 milhões. “Todas as vacinas do Plano Nacional de Imunização: mais de R$ 4,5 bilhões”, citou Queiroga.

Público-alvo da vacina contra a gripe:

A campanha acontecerá em duas etapas, sendo a primeira voltada para idosos com 60 anos ou mais e profissionais da saúde, entre os dias 4 de abril e 2 de maio.

Na segunda etapa, entre os dias 3 de maio e 3 de junho, serão imunizados os demais grupos prioritários, incluindo:

  • Crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias)
  • Gestantes e puérperas
  • Povos indígenas
  • Professores
  • Pessoas com comorbidades
  • Pessoas com deficiência permanente
  • Forças de segurança e salvamento e Forças Armadas
  • Caminhoneiros e trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso
  • Trabalhadores portuários
  • Funcionários do sistema prisional
  • Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas
  • População privada de liberdade

A vacina contra influenza utilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é produzida pelo Instituto Butantan. A formulação é atualizada anualmente para que a dose seja efetiva na proteção contra as principais cepas do vírus em circulação. A vacina trivalente inclui a proteção contra as cepas H1N1, H3N2 (incluindo a cepa Darwin, responsável por um surto no fim de 2021) e tipo B.

Público-alvo da vacina contra o sarampo

De 4 de abril a 2 de maio: vacinação dos trabalhadores da saúde – juntamente com a primeira etapa da vacinação contra influenza;

De 3 de maio a 3 de junho de 2022: campanha de seguimento contra o Sarampo para crianças de 06 meses a menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias) – juntamente com a segunda etapa da vacinação contra influenza.

*Com informações de Lucas Rocha, da CNN

Este conteúdo foi originalmente publicado em “Temos a falsa segurança que estamos livres das doenças”, diz Queiroga no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.