Por que o Homem-Aranha continua sendo um dos super-heróis mais populares


Essa quinta-feira, 28 de abril, marcou o Dia Nacional do Super-herói nos Estados Unidos, e segundo dados de pesquisas do Google em 2021, o super-herói mais popular do mundo é o Homem-Aranha.

De acordo com a plataforma de entretenimento online Zavvi, o web slinger (lançador de teia) possui uma média de 5 milhões de pesquisas por mês.

Mas como ele conquistou esse cobiçado lugar em um mercado altamente saturado?

Em conversa com a CNN, o escritor-intérprete e fã de quadrinhos Reece Connolly descreve o Homem-Aranha – seu super-herói favorito – como “um herói em sua forma mais simples de usar o que lhe foi dado para ajudar as pessoas”.

“Ele é normal. É um cara jovem cuja tolice e estranheza fazem dele um dos super-heróis mais relacionáveis ​​que existem. Ele não é nada de especial, ele é apenas normal.”

Connolly diz que, ao contrário de Batman, seu segundo super-herói favorito, o Homem-Aranha não tem “bilhões de dólares no banco. Ele não é um bilionário que mora sozinho em uma mansão”.

Ele observa que a vida do Homem-Aranha – cheia de problemas na escola e com sua família – apresenta cenários que muitos fãs experimentaram em suas próprias vidas.

“Mas é mais do que isso. Ele tem uma vida difícil e trágica e ainda mantém aquele entusiasmo de cachorrinho e continua se recuperando”, o que é inspirador, diz Connolly.

As “lições de vida de ser gentil com os outros e assumir responsabilidades”, ensinadas a ele por sua tia May e tio Ben, estão muito presentes no lado Peter Parker do personagem, observa Connolly.

Dr. Ilham Sebah, psicólogo da Royal Holloway, Universidade de Londres, diz que a ideia de “recuperar-se” é sinônimo de resiliência – “a capacidade de se adaptar e lidar com o estresse e as adversidades” experimentadas na vida.

“Gosto de pensar nisso como ‘saltar para a frente’”, disse Sebah à CNN, observando que as adversidades do Homem-Aranha o equiparam com as habilidades e estratégias para lidar melhor com situações futuras.

Louise Phull, fã dos filmes do Homem-Aranha, acredita que a “vulnerabilidade” e o “desenvolvimento de caráter” do super-herói o tornam mais humano e simpático, especialmente quando ele se sacrifica tanto pelo “bem maior”.

A psicologia positiva teoriza que a qualidade de vida pode ser melhorada por experiências subjetivas (por exemplo, felicidade e esperança) e traços (como amor e perseverança), o que é visto em como o Homem-Aranha lida com o que quer que seja.

Uma foto de “Homem-Aranha 2”, de 2004, estrelado por Tobey Maguire / ©Columbia Pictures/Courtesy Everett Collection

“Ele é constantemente vulnerável, mas consegue superar isso e nunca chegar ao fundo do poço” e isso é admirável especialmente para as crianças que o veem como um modelo, afirma Phull, acrescentando que a “bússola moral” do personagem também desempenha um grande papel na seu apelo.

Essa bússola moral é resumida em uma frase que todos os fãs do Aranha conhecem: “Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades”, que é dito a ele por seu tio na maioria das versões da história do Homem-Aranha e por sua tia mais recentemente no blockbuster de 2021, ” Homem-Aranha: Sem Caminho para Casa.”

“É uma lição de vida muito poderosa para todos, porque o que quer que você tenha recebido na vida, é sua responsabilidade literalmente usá-lo para ajudar a melhorar o mundo ao seu redor”, diz Connolly.

O Homem-Aranha muitas vezes tem problemas para equilibrar seu heroísmo de lançar teias com sua identidade não-super-herói Peter Parker. Como Parker, ele é frequentemente vulnerável e intimidado por Flash Thompson, mas ocasionalmente a força que ele mostra em seu alter ego surge em sua defesa.

Na história em quadrinhos “The Amazing Spider-Man # 2”, Parker chama Thompson, dizendo “pelo menos meu cérebro não é musculoso, como aquela sua cabeça gorda!”

Connolly diz que seus superpoderes não são a única coisa “especial” sobre o Homem-Aranha, porque tanto Parker quanto o super-herói são conhecidos por inteligência.

“Mesmo quando ele está no meio de uma batalha com o Rhino ou o Lizard, ele ainda está contando piadas – piadas ruins na maioria das vezes, mas geralmente são do melhor tipo.”

Na história em quadrinhos “Ultimate Spider-Man # 1”, quando o Duende Verde ataca sua escola, o Homem-Aranha brinca: “Você não seria o novo professor de educação doméstica, seria?”.

Sebah, especialista no estudo da resiliência, observa que o humor é um mecanismo de enfrentamento comum – e eficaz –, principalmente quando alguém está sofrendo.

Durante uma pandemia que causou estragos em vidas em todo o mundo, pode ser especialmente importante para os fãs ver essa resiliência em um personagem afável e amado na tela grande.

“Você encontra esperança nesses personagens”, diz Connolly.

“Quando eles são tão bem escritos e realizados, eles quase parecem reais. E eles estão lá para muitos de nós há muito tempo, seja através de histórias em quadrinhos, filmes, jogos”, diz ele. “E em tempos sombrios, é bom voltar para eles e prestar atenção em suas lições e inspirar-se nelas.”

Este conteúdo foi originalmente publicado em Por que o Homem-Aranha continua sendo um dos super-heróis mais populares no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.