Família de Halyna Hutchins exige que imagens divulgadas após tiroteio sejam deletadas


A família de Halyna Hutchins está exigindo que o Gabinete do Xerife do Condado de Santa Fé remova o vídeo divulgado dela “morrendo no chão da igreja”, nos momentos depois que ela foi baleada no set do filme “Rust” no ano passado. O pedido foi feito em uma carta escrita pelo advogado da família e obtido pela CNN.

Halyna, a diretora de fotografia do filme, foi morta e o diretor Joel Souza ficou ferido quando uma arma manuseada pelo ator Alec Baldwin disparou enquanto ensaiavam uma cena no Bonanza Creek Ranch, no Novo México, em outubro passado.

O Gabinete do Xerife do Condado de Santa Fe divulgou nessa segunda-feira (25) vários arquivos de sua investigação em andamento sobre o tiroteio, incluindo fotos, gravações e relatórios, disseram autoridades. O vídeo de Halyna morrendo está incluído nos dados divulgados.

Na carta ao gabinete do xerife, Brian Panish, advogado da família Hutchins, disse que a divulgação das provas causou danos “irreparáveis” ao marido, Matthew Hutchins, e ao filho.

“Seu escritório pisoteou os direitos constitucionais dos Halyna Hutchins”, diz a carta, datada de 27 de abril. “Sem qualquer discussão, seu escritório determinou unilateralmente que o Sr. Hutchins teria acesso aos materiais para revisão no início da manhã de segunda-feira, 25 de abril, antes de ser divulgado ao público no final da tarde, dando-lhe menos de um dia útil para revisar os materiais.”

Devido ao “grande volume de material”, foi “uma quantidade de tempo totalmente inadequada”, e a família não teve a oportunidade de “solicitar que a discrição fosse exercida e que o material sensível fosse redigido”, escreveu Panish.

Além disso, dizia a carta, o escritório do xerife não redigiu as informações pessoais e privadas de Halyna Hutchins. Panish escreveu que seu cliente teme que o vídeo dos momentos finais de sua esposa possa ser usado por agressores para abusar emocionalmente de seu filho.

A carta exige que o escritório do xerife respeite os “direitos constitucionais de dignidade, privacidade, respeito e justiça daqui para frente” da família Hutchins, e o escritório retire imagens da diretora “morrendo no chão da igreja”.

“Embora o dano da publicação do vídeo seja irreparável, a remoção do vídeo acabará com a cumplicidade de seu escritório em causar mais danos”, diz a carta.

A CNN entrou em contato com o Gabinete do Xerife do Condado de Santa Fé para confirmar o recebimento da carta e comentários adicionais.

Durante uma entrevista no “Good Morning America” ​​da ABC nessa quarta (27), o xerife do condado de Santa Fe, Adan Mendoza, defendeu a liberação do material. “Estamos em resposta a uma solicitação de registros públicos, onde somos obrigados a divulgar as informações, e também foi um esforço para sermos transparentes na investigação”, disse Mendoza.

A investigação está “quase concluída”, disse ele à ABC, acrescentando que seu escritório está aguardando a análise do FBI de munições, impressões latentes, DNA, um relatório do médico legista e algumas análises de dados de telefones celulares. Seu escritório espera que isso termine em “semanas e não meses”, disse ele à GMA.

Homenagem à diretora de fotografia Halyna Hutchins / Getty Images

Provas divulgadas incluem “textos preocupantes”, diz xerife

Os arquivos de evidências divulgados pelo escritório do xerife também continham mensagens de texto que a armeira Hannah Gutierrez Reed compartilhou com um fornecedor de munição para um filme anterior em 2021 – não “Rust” – onde ela afirmou que planejava atirar com munição real enquanto estivesse no set .

Mendoza chamou as mensagens de texto de “preocupantes” durante uma entrevista ao “Today” da NBC na terça-feira (26) e disse que os investigadores estão investigando quem trouxe munição real para o set de “Rust”.

“Neste momento, ninguém se apresentou e admitiu ter trazido as munições para o set de filmagem. Havia informações de mensagens de texto que eram preocupantes com base no fato de que munição real foi falada e possivelmente foi usada em um set de filmagem anterior e isso foi apenas alguns meses antes do início da produção do set de filmagem de ‘Rust’, então isso é preocupante”, disse Mendoza.

Um oficial da lei disse à CNN que considera a troca de texto importante, pois tenta determinar se o armeiro praticava a realização de exercícios de tiro ao vivo ao mesmo tempo em que era responsável pela segurança nos sets.

O advogado de Gutierrez Reed, Jason Bowles, disse à CNN que sua cliente queria disparar a arma para entender como a arma histórica funcionava e afirma que ela não disparou tiros reais no set.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Família de Halyna Hutchins exige que imagens divulgadas após tiroteio sejam deletadas no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.