Johnny Depp termina depoimento e divulga novos áudios com Amber Heard


O ator Johnny Depp concluiu seu depoimento nesta segunda-feira (25) no processo de difamação que abriu contra a ex-mulher Amber Heard, dizendo que foi vítima de violência doméstica em seu relacionamento e que ficou “acabado” no momento em que o casamento se desfez.

O quarto dia de Depp no ​​banco das testemunhas em um tribunal da Virgínia terminou com seus advogados reproduzindo o áudio de uma conversa que ocorreu depois que Heard conseguiu uma ordem de restrição contra ele em 2016.

O astro de “Piratas do Caribe” disse que concordou com o pedido de Heard de se encontrar em um quarto de hotel em São Francisco porque achou que ela poderia retirar sua acusação de que ele a havia abusado.

Na gravação, Depp propõe que o casal emita uma carta conjunta dizendo que se amavam e que a mídia havia criado uma tempestade em torno deles. A sugestão foi uma tentativa de encontrar um “acordo pacífico”, disse Depp.

Heard, conhecida por seu papel em “Aquaman”, resistiu à ideia e o desafiou a ir a público com sua alegação de que foi ele quem sofreu abuso. “Diga ao mundo, Johnny”, disse ela. “Diga a eles que eu, Johnny Depp – um homem – também sou vítima de violência doméstica.”

Depp disse que respondeu: “Sim, eu fui”.

O ator de 58 anos está processando Heard, 36, em US$ 50 milhões. Heard contra-processou por US $ 100 milhões, dizendo que Depp a difamou chamando-a de mentirosa.

Em outro áudio desse encontro em São Francisco, Depp ameaçou se cortar com uma faca.

“Isso é psicologicamente, emocionalmente onde eu estava”, disse ele. “No final, eu estava acabado… E pensei que a única resposta era essa, pegue meu sangue, isso é tudo que me resta.”

O caso está baseado em um artigo de opinião de dezembro de 2018 no “Washington Post”. O artigo nunca mencionou Depp pelo nome, mas seu advogado disse aos jurados que estava claro que Heard estava se referindo a ele. O divórcio do casal foi finalizado em 2017.

Mais cedo nesta segunda, os advogados de Heard apresentaram notícias que, segundo eles, mostravam que o comportamento de Depp já havia prejudicado sua lucrativa carreira no cinema bem antes do artigo de Heard.

As manchetes incluíam “Por que todos os filmes de Johnny Depp estão indo mal nas bilheterias?” e “Onde tudo deu errado para Johnny Depp?”. Os artigos, publicados antes do editorial de Heard, afirmavam que Depp bebia vodca no café da manhã e chegava atrasado para os sets de filmagem.

Depp disse que, como um ator de Hollywood de longa data, ele foi alvo de sensacionalismo.

O ator testemunhou que Heard o esbofeteou ou empurrou quando o casal discordou e uma vez jogou uma garrafa de vodca em sua mão, cortando a parte superior de seu dedo médio direito.

Em um caso legal separado na Inglaterra, Heard negou ter jogado uma garrafa e cortado o dedo de Depp. Ela disse que jogou coisas apenas para escapar quando ele estava batendo nela, e uma vez deu um soco nele porque temia que ele empurrasse sua irmã escada abaixo.

Depp, que já foi um dos maiores astros de Hollywood, disse que nunca bateu em Heard ou em qualquer mulher e que as alegações de Heard lhe custaram “tudo”. Um novo filme de “Piratas” foi suspenso e Depp foi retirado da franquia de filmes “Animais Fantásticos”, um spin-off de “Harry Potter”.

Os advogados de Heard argumentaram que ela disse a verdade e que sua opinião estava protegida pela liberdade de expressão pela Primeira Emenda da Constituição dos EUA. Nos argumentos iniciais, os advogados de Heard disseram que Depp a agrediu física e sexualmente enquanto abusava de drogas e álcool.

Um juiz do tribunal estadual do condado de Fairfax, na Virgínia, está supervisionando o julgamento, que deve durar até o final de maio.

Menos de dois anos atrás, Depp perdeu um caso de difamação contra o “The Sun”, um tabloide britânico que o rotulou de “espancador de esposas”. Um juiz da Suprema Corte de Londres decidiu que ele havia agredido Amber Heard repetidamente.

Os advogados de Depp disseram que abriram o caso dos EUA no condado de Fairfax, fora da capital do país, porque o “Washington Post” é impresso lá. O jornal não é réu.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Johnny Depp termina depoimento e divulga novos áudios com Amber Heard no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.