Os bastidores da decisão de Bolsonaro de dar indulto a Daniel Silveira


O presidente Jair Bolsonaro começou a discutir a estratégia para conceder um indulto ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) antes mesmo de o STF condenar o parlamentar, nessa quarta-feira (20/4).

Segundo ministros do Palácio do Planalto ouvidos pela coluna, a possibilidade começou a ser tratada há cerca de duas semanas, quando o julgamento de Silveira no Supremo ainda estava apenas marcado.

Toda a estratégia foi bolada por Bolsonaro com ajuda de auxiliares da área jurídica. Entre eles, o advogado-Geral da União, Bruno Bianco, e o subchefe para Assuntos Jurídicos da Presidência, Pedro Cesar Sousa.

Antes mesmo do início do julgamento pelo STF nessa quarta, um esboço do decreto em que Bolsonaro concederia a “graça institucional” ao deputado bolsonarista já estava pronto.

Os detalhes foram finalizados numa reunião na manhã desta quinta-feira (21/4), no Palácio da Alvorada, entre o presidente e auxiliares. Entre eles, Pedro Sousa e o ministro da Secretaria de Governo, Célio Faria Júnior.

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Jorge Oliveira também participou da reunião. Oliveira já foi ministro do governo Bolsonaro e foi indicado para a Corte pelo atual presidente da República.

Após o encontro no Alvorada, Bolsonaro avisou a alguns ministros e auxiliares próximos que o decreto seria publicado a qualquer momento. A publicação aconteceu no início da noite de quinta.

O post Os bastidores da decisão de Bolsonaro de dar indulto a Daniel Silveira apareceu primeiro em Metrópoles.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.