Bardana: comida saudável e afetiva com a conveniência do self-service


Seis meses antes da pandemia, os empresários Beatriz Teixeira, Carlos Eduardo Quintanilha, Daniel Teixeira e Eduardo Mata assumiram o desafio de dar continuidade à história do Bardana. O restaurante, que já existia há vários anos na 405 Sul, sempre atraiu clientes em busca de uma alimentação saudável, proporcionada por insumos sempre muito frescos e pratos elaborados no dia. Um ano depois, Bia e Dudu, como são mais conhecidos, instalaram nos fundos da mesma loja o Minimalize Café, que já funcionava em Águas Claras.

Para mim, o Bardana é um antigo conhecido. Lembro-me bem de quando trabalhava ali perto e trocava as demais tentações da conhecida Rua dos Restaurantes por um bom prato de salada, seguido por alguma proteína e acompanhamentos que combinassem com ela. Mais do que o equilíbrio, o que me atraía ao restaurante era o sistema self-service, bastante conveniente quando se está com muitas tarefas para realizar durante o resto do dia. Fora isso, a Bia me contou que eles compram todos os insumos de pequenos produtores reunidos no Ceasa e que sonha um dia poder oferecer tudo orgânico para os clientes. Ou seja, mais um pontinho pra eles.

O restaurante abre às 11h e conta com uma boa oferta de preparos. O bufê custa R$ 79,90. Na parte fria, é possível se servir de folhagens, leguminosas cozidas, ovos, frutas secas, oleaginosas, farelos variados e ervas como hortelã e manjericão para dar aquela temperada gostosa. Do outro lado do balcão, o meu favorito, tem os preparos quentes. Eu preciso me controlar toda a vez que vou a um restaurante a quilo, porque a minha vontade é comer tudo o que está disponível no balcão. Sério, não tenho maturidade para resistir a tantos aromas.


0

Nesta última visita, fui de arroz integral, farofinha bem dourada com cebola, creme de espinafre e um franguinho guizado. Simples, gostoso e bem temperado. Ah, e ainda peguei dois acarajés vegetarianos, que estavam muito bem temperadinhos. Se fosse mais tarde, acompanharia com uma cerveja bem gelada (risos).

Por conta desse excesso, abri mão do bacalhau e do filé cortado em tiras com vegetais com um molho escuro que me pareceu bastante suculento. Dentre as guarnições, havia ainda feijão de caldo, torta de legumes, quiche, entre outras delicinhas com cara de casa de vó.

Para adoçar

Uma das queridinhas do bufê, não pode faltar a torta de banana integral, que está no menu da casa desde a inauguração. Fora, ela custa R$ 12. Mas quem preferir um doce mais potente, pode pedir uma das sobremesas do Minimalize. A torta de limão (RR 16) vem com um generoso recheio e cobertura de chantilly levemente maçaricado. É uma das melhores da cidade, posso dizer.

A casa serve ainda o famoso Bolo da Ivone na versão de potinho (R$ 16) , o brownie do Dudu (R$ 12), receita do dono com bastante chocolate e castanha de caju; e o bolo brulê (R$ 16).

Para acompanhar e finalizar a refeição, que tal um cappuccino. O menu traz desde o raiz (R$ 12), até o brasileiro, com chocolate e toque de canela (R$14); chai, com especiarias indianas (R$ 14), o Melbourne, com cacau 100% (R$ 15) e ainda as versões com Nutella ou doce de leite (R$ 15).

Se a ideia é um só um cafezinho, ele pode ser extraído pelos métodos Hario V60, Kalita, Koar, Aeropress e Prensa Francesa. Os grãos são garimpados nas melhores regiões produtoras.

Serviço:
Bardana
CLS 405, bloco A, loja 22
Telefone: (61) 3242-0882
Funciona diariamente, das 11h às 15h
@bardana.rest

Minimalize Café
Funciona de segunda a sexta, das 12h às 21h; sábado e domingo, das 9h30 às 19h30
@minimalizecafe

Para mais dicas de gastronomia, siga @lucianabarbo no Instagram.

O post Bardana: comida saudável e afetiva com a conveniência do self-service apareceu primeiro em Metrópoles.