PF investiga dois deputados estaduais do Amapá por rachadinha e superfaturamento


A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (8) a operação “Double Crack”, que apura o desvio de recursos da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap), em um esquema que envolveria a prática de “rachadinha“, quando parte ou todo o salário de um funcionário é transferido para um parlamentar. E ainda, superfaturamento no aluguel de um prédio comercial para a Alap.

Estão sendo cumpridos 18 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça do Estado, contra dois deputados estaduais do Amapá e assessores dos mesmos que trabalham nos gabinetes. Os nomes dos parlamentares não foram divulgados pela PF.

Durante as investigações, a PF identificou que a organização criminosa recebia dos cofres da Assembleia, somente com os desvios de salários dos assessores, mais de R$150 mil, que era usado para pagar despesas pessoais de parlamentar. E que os valores desviados desde o ano de 2019 até o momento, somam R$ 7,4 milhões.

Os investigados podem responder pelos crimes de peculato, corrupção passiva, organização criminosa, fraude em processo licitatório e lavagem de dinheiro, com penas que podem chegar a 42 anos de prisão.

Double crack em inglês significa dupla rachadura, faz alusão ao esquema de “rachadinha” envolvendo deputados da ALAP.

Este conteúdo foi originalmente publicado em PF investiga dois deputados estaduais do Amapá por rachadinha e superfaturamento no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.