Lula volta a defender que eleitor cobre deputados na porta de casa


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a defender nesta quinta-feira (7) que os eleitores procurem deputados federais “na porta de casa” para reivindicarem suas demandas. A declaração já havia sido feita na segunda-feira (4) e causado reação no meio político, especialmente entre parlamentares bolsonaristas.

Em entrevista hoje à rádio Jangadeiro BandNews de Fortaleza, no Ceará, o petista afirmou que a sugestão de cobrar pessoalmente os políticos é feita por ele desde quando era dirigente sindical, nos anos 1970.

No período em que foi presidente da República, de 2003 a 2010, Lula disse ter sido cobrado mesmo de madrugada, na frente do Palácio do Alvorada, em Brasília. Também afirmou que os eleitores ficavam esperando para conversar na porta de seu apartamento, em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.

“Ao invés de gastar fortuna indo pra Brasília fazer protesto, todo deputado mora numa cidade, então não custa nada o povo ir na porta da casa dessa pessoa tentar conversar de forma civilizada e debater um tema que você quer discutir. Tem que ter uma conversa entre todos. Lamentavelmente, me parece que tem deputado que não quer conversar com o povo. Só na época das eleições”, afirmou.

Lula defendeu que não “custa nada” o eleitor bater palma na frente da casa dos deputados, para que eles saiam para conversar. “[O deputado] pergunta o que eles querem. Eles vão dizer que não querem que aprove determinada lei e o deputado diz se vai votar ou não. Qual é o mal nisso?”, questionou.

Na segunda-feira, durante um evento na Central Única dos Trabalhadores (CUT), o ex-presidente disse que “fazer ato público na frente do Congresso Nacional não move uma pestana de um deputado”.

“Se a gente pegasse e mapeasse o endereço de cada deputado e fossem 50 pessoas na casa do deputado, não para xingar, para conversar com ele, com a mulher dele, com o filho, incomodar a tranquilidade dele, eu acho que surte muito mais efeito do que a gente vir fazer a manifestação em Brasília”, afirmou na segunda-feira.

Parlamentares reagem

Parlamentares que apoiam o presidente Jair Bolsonaro (PL) reagiram nas redes sociais. A deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) publicou um vídeo dizendo que seu lar é “inviolável” e que tem uma “pistola” em casa.

O deputado federal e policial militar reformado Junio Amaral (PL-MG) também publicou um vídeo exibindo uma arma e dizendo que os petistas que fossem até sua casa seriam “muito bem-vindos” ― depois do episódio, o PT disse que entrou com uma representação no Conselho de Ética da Câmara contra o parlamentar.

O presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, chamou a fala de Lula de “absurda” e “fascista”. O deputado federal Marcel van Hattem (Novo-RS) classificou a sugestão de “criminosa” e cobrou resposta do Supremo Tribunal Federal (STF) por uma suposta “ameaça ao Parlamento”.

(Publicado por Estêvão Bertoni)

Este conteúdo foi originalmente publicado em Lula volta a defender que eleitor cobre deputados na porta de casa no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.