Leite tem um projeto pessoal, não partidário, diz presidente do PSDB em São Paulo


O presidente do PSDB em São Paulo, Marco Vinholi, comentou nesta quarta-feira (6) à CNN sobre as disputas internas no partido e reafirmou o nome de João Doria como pré-candidato ao Planalto.

“Respeito o ex-governador Eduardo Leite, mas ele tem se colocado falando de um projeto pessoal, a qual eu discordo plenamente, é uma posição isolada dentro do partido que não reflete o sentimento da maioria e o resultado das prévias.”

Vinholi não acredita que a pré-candidatura de Doria possa sofrer um “golpe” dentro do partido: “Não vejo nenhuma possibilidade disso acontecer, o projeto coletivo tem que se sobrepor aos individuais, isso é uma regra básica da política e no PSDB sempre foi levado muito a sério desde o início da formação do partido.”

Segundo o presidente regional do partido, o foco da campanha de João Doria neste momento está na costura junto a outros partidos que pleiteiam a chamada “terceira via”: “A legitimidade de sentar à mesa com outros partidos é de João Doria, e ele tem feito esse movimento de afunilar com os outros partidos do centro democrático para elaborar uma proposta e construir a via definitiva para poder desenvolver nosso país.”

Entretanto, Vinholi entende que Doria pode não encabeçar uma eventual chapa presidencial com partidos como MDB, União Brasil e PPS: “hoje os nossos presidentes se reúnem para poder construir essa pauta conjunta, essa agenda conjunta e esses critérios para definir a chapa presidencial, cada partido tem suas preferências, com nomes excepcionais.”

Ainda assim, o tucano vê o nome do ex-governador paulista como mais forte: “Eu defendo que esse projeto seja capitaneado pelo Doria, porque entendo que as últimas pesquisas, o avanço e a capilaridade política serão fundamentais, além das suas credenciais apresentadas ao longo do mandato como governador para retomar o desenvolvimento do Brasil.”

Leite se coloca à disposição para disputar Planalto

Em entrevista à CNN na terça-feira (5), o ex-governador gaúcho disse estar disponível para a disputa presidencial, se assim for o desejo do partido: “O PSDB é um partido que não tem dono, tem quadros”, ponderou, afirmando que respeita o resultado das prévias e a pré-indicação de João Doria. Mas avalia que a “capacidade eleitoral depende da situação da eleição e do momento que o país está vivendo”, para que o candidato escolhido possa “se conectar com esse momento”.

Leite colocou-se à disposição, inclusive, para sair como candidato a vice em uma eventual chapa com Simone Tebet (MDB): “Tem toda a condição também de ser uma liderança desse projeto.”

Após a entrevista de Vinholi, o presidente do diretório gaúcho do PSDB, deputado Lucas Redecker, enviou nota à CNN na qual afirma que “Eduardo Leite possui uma trajetória como vereador, prefeito e governador que comprova que suas ações não estão fundamentadas em projetos pessoais”.

“Suas construções, com base no diálogo, sempre foram voltadas para os projetos de governo e de partido. A manifestação de Marco Vinholi difere da realidade e demonstra apenas uma estratégia de ataque. Eduardo Leite está à disposição para construir alternativas que possam acabar com a polarização existente no país e, para isso, buscando o papel que lhe for mais adequado”, acrescentou Redecker.

A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

 

Este conteúdo foi originalmente publicado em Leite tem um projeto pessoal, não partidário, diz presidente do PSDB em São Paulo no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.