Oposição aciona Conselho de Ética contra Eduardo Bolsonaro após ataques a Miriam Leitão


O PSOL protocolou nesta segunda-feira (4) uma representação no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados na qual pede pela cassação do mandato do deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP).

No Twitter, o filho do presidente Jair Bolsonaro (PL-RJ) ironizou a tortura sofrida por Miriam Leitão durante a ditadura militar.

O deputado publicou, no domingo (3), uma imagem da última coluna da jornalista e escreveu: “Ainda com pena da [emoji de cobra]”.

Em uma das sessões de tortura, Miriam Leitão foi presa em uma sala escura com uma cobra enquanto estava grávida.

A ação diz que Eduardo Bolsonaro atentou contra a Constituição “por fazer uma apologia direta da tortura” e reforçou que o deputado “abusou, de forma machista e misógina, de suas prerrogativas parlamentares”.

Por fim, o partido afirma que a fala de Eduardo atentou contra o decoro parlamentar e pede que ele seja punido com a perda de mandato. Procurado pela reportagem, Eduardo Bolsonaro não se manifestou.

A CNN procurou o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que informou que não se manifestará sobre o assunto.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Oposição aciona Conselho de Ética contra Eduardo Bolsonaro após ataques a Miriam Leitão no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.