Ex-Manchester United diz que Anderson poderia ter sido o melhor do mundo se tivesse foco


Na Europa, o meia jogou no Manchester, no Porto e na Fiorentina

Todo mundo que lembra da famosa “batalha dos aflitos” certamente lembra de Anderson, um dos principais personagens daquele jogo. Com apenas 17 anos e pouco mais de um ano como profissional, o meia fez o gol que garantiu o acesso do Grêmio para a Série A, após a equipe ter 4 jogadores expulsos e um pênalti a favor do Náutico, adversário gremista daquela partida.

Muito jovem ele já era um dos destaques do Grêmio, o que fez com que em 2006, com apenas 18 anos, fosse contratado pelo Porto e um ano depois, contratado pelo Manchester United, onde permaneceu até 2015. Pelo time inglês, venceu praticamente tudo. 4 vezes a Premier League, a Champions League de 2008 e o Mundial de Clubes do mesmo ano. Além da Copa da Liga e Supercopa. Foi atuando pelo United que Anderson foi convocado para a seleção brasileira, na qual venceu a Copa América de 2007 e foi bronze nas Olimpíadas de 2008.

O goleiro Ben Foster, ex-companheiro de Anderson no Manchester United, disse em entrevista ao “UTD Podcast” que o meia brasileiro poderia ter sido o melhor jogador de futebol do mundo. Na entrevista, o goleiro revelou os motivos que fizeram com que o jogador não alcançasse patamares mais altos na carreira.

“Todos diziam que ele seria o melhor do mundo em algum momento. Mas ele não ligava, não estava nem aí para nada. Tévez (também companheiro no Manchester) era a mesma coisa. Tem que haver algo em ser sul-americano”.

Essa não é a primeira vez que ex-companheiros falam sobre a falta de foco do meia. Outro brasileiro, o lateral-direito do Botafogo Rafinha, que também atuou com Anderson no Manchester United, revelou em sua autobiografia que o meia era viciado em lanches do McDonald’s. O atleta de 31 anos também acredita que esse comportamento influenciou na carreira do meia.

Relembre a carreira de Anderson

Anderson foi revelado pelo Grêmio, em 2004, mas jogou poucas partidas. Em 2005 foi onde se tornou titular e foi onde ganhou destaque, por conta da “batalha dos aflitos”. Se transferiu para o Porto em 2006 e acabou vencendo duas vezes o Campeonato Português, em 2006 e 2007, além da Copa de Portugal, em 2006.

Chegou ao Manchester na metade de 2007 e conquistou 10 títulos com a camisa dos Red Devils, sendo quatro Premier League e uma Champions League. Na decisão da Liga dos Campeões diante do Chelsea, o brasileiro foi o responsável por cobrar o pênalti que deu o título ao time de Alex Ferguson. Pelo Manchester foram 181 partidas e foi de fato aonde ele teve mais destaque.

Em 2014, já em um declínio na carreira, foi emprestado para a Fiorentina, mas jogou apenas 8 partidas. Em 2015, quando terminou seu contrato com o United, o meia surpreendeu e acabou indo jogar no rival gremista, o Inter. Sua passagem pelo Internacional durou 2 anos, onde disputou 52 partidas e venceu o Gauchão de 2015 e 2016.

Em 2017 foi para o Coritiba, mas também não conseguiu ter muito sucesso, apesar de ter vencido o estadual em 2017, foram só 12 partidas e nenhum gol. 2018, acertou sua ida ao Adana Demirspor, da Turquia. Jogou apenas uma partida em 2019 e acabou se aposentando precocemente, aos 31 anos.

Ex-Manchester United diz que Anderson poderia ter sido o melhor do mundo se tivesse focoTorcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.