Mancini indica permanência na seleção italiana após queda na repescagem


O vexame sofrido pela Itália na última quinta-feira, 24, ao ser derrotada pela Macedônia do Norte em casa e, consequentemente, ter ficado de fora da próxima Copa do Mundo, não deve impedir a continuidade do trabalho do técnico Roberto Mancini a frente da seleção. Na véspera do amistoso diante da Turquia, que ocorrerá nesta terça, 29, às 15h45 (de Brasília), o treinador indicou que deve permanecer no comando da Azurra para o próximo ciclo de Copa.

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

A confirmação deve ocorrer após uma última conversa com o presidente da Federação Italiana de Futebol (FIGC na sigla original), Gabriele Gravina. O dirigente já declarou apoio público ao treinador.

“Vou falar novamente com a Gravina para entender onde podemos melhorar. Queria ganhar a Eurocopa e o Mundial, ainda preciso de tempo para o segundo. Estamos alinhados em tudo e estou satisfeito. falar sobre isso novamente depois do jogo, vamos pensar com calma no que precisa ser melhorado para o futuro”, disse em entrevista antes da partida.

“Gosto meu trabalho, sei que posso ainda me divertir muito e com os caras posso reorganizar algo importante”, completou o treinador, que recebeu elogios do zagueiro Leonardo Bonucci: “o que ele nos deu nesses três anos é algo único, uma empatia entre o treinador, o grupo e a equipe que raramente se respirava em Coverciano . Continuar com ele é a consequência lógica de tudo isso”.

A frustração dos jogadores italianos após o apito final do jogo –Alberto Pizzoli/AFP

De acordo com o treinador, a atual equipe tinha potencial para ter vencido o mundial do Catar. “Teremos a chance de adicionar jogadores mais jovens que, esperamos, tenham mais chances com seus clubes. Isso é crucial. Existem muitos jogadores jovens que podem ter a ambição de jogar com a Itália, com um futuro brilhante pela frente. Podemos olhar para o potencial dos jovens jogadores. A equipe atual, com alguma adição, poderia ter vencido a Copa do Mundo”, explica.

Logo após a derrota por 1 a 0 em Palermo, Mancini admitiu sua frustração e colocou em dúvida a permanência. O treinador tentou confortar os atletas. Do grupo atual, nove atletas estiveram presentes no vexame de 2017, quando a equipe foi derrotada na repescagem pela Suécia: Donnarumma, então reserva de Buffon, Jorginho, Bonucci, Chiellini, Insigne, Veratti, Immobile, Belotti e Florenzi.

Continua após a publicidade


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.