Rússia confirma ataques em Lviv, mas alvo era armazém com mísseis em Kiev


Os militares russos confirmaram neste domingo (27) ataques a depósitos de combustível na cidade ucraniana de Lviv e fora de Kiev no sábado (26). Eles alegaram que tinham como alvo suprimentos de combustível para tropas ucranianas e confirmaram que realizaram o ataque.

Mas, separadamente, o porta-voz da Defesa russa ainda alegou que as armas foram lançadas do mar e tinham como alvo uma instalação de armazenamento de mísseis ucraniano a 30 quilômetros a sudoeste de Kiev.

“Em 26 de março, armas lançadas de longo alcance de alta precisão destruíram uma grande base de combustível perto da cidade de Lviv, que fornecia combustível para as tropas ucranianas nas regiões ocidentais da Ucrânia, bem como perto de Kiev”, disse o porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov.

Konashenkov confirmou o ataque separado em Lviv no sábado, dizendo que mísseis de cruzeiro tinham como alvo as oficinas da fábrica de reparo de rádio de Lviv, que ele alegou ter realizado a revisão e modernização dos sistemas de armas ucranianos. O Serviço de Emergência do Estado da Ucrânia disse no domingo que o incêndio que atingiu o depósito de combustível em Lviv foi extinto às 6h49 de hoje no horário local.

O prefeito de Lviv, Andriy Sadovyi, disse em uma postagem no Twitter no domingo que os bombeiros levaram 14 horas para apagar o fogo.

Equipe no local

John Berman, da CNN, viu fumaça subindo de trás de uma colina perto Lviv após uma série de três explosões. “Não vemos nenhum ataque na cidade em si, mas fumaça subindo do horizonte atrás daquela colina após três grandes explosões”, disse Berman aos telespectadores, antes de ir um pouco mais perto para o local e relatar o que estava ocorrendo.

A região de Lviv fica a Oeste da Ucrânia, perto da fronteira com a Polônia. O incêndio provocou uma coluna de fumaça muito intensa.

 

Este conteúdo foi originalmente publicado em Rússia confirma ataques em Lviv, mas alvo era armazém com mísseis em Kiev no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.