Após falas de Biden, Otan também diz que não há política para mudar regime russo


O governo do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, continuou no domingo (27) a esclarecer sua observação de que o presidente russo Vladimir Putin “não pode permanecer no poder”, feita no sábado (26), em seu último dia na Europa.

Julianne Smith, embaixadora dos EUA na Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), disse em uma entrevista neste domingo para a CNN que os comentários surpreendentes de Biden no sábado foram “reação humana de princípios”, feita depois que ele passou o dia vendo em primeira mão as tragédias da guerra, quando visitou centenas de refugiados ucranianos.

“Ele foi ao Estádio Nacional de Varsóvia e literalmente se encontrou com centenas de ucranianos. Ele ouviu suas histórias heroicas enquanto fugiam da Ucrânia após a brutal guerra da Rússia na Ucrânia. Ainda assim, os EUA não têm uma política de mudança de regime na Rússia, ponto final”, disse Smith na entrevista.

Os comentários da embaixadora vêm horas depois que o secretário de Estado Antony Blinken também tentou minimizar os comentários do presidente em Israel, dizendo:

“Acho que o presidente, a Casa Branca, afirmaram ontem à noite que, simplesmente, o presidente Putin não pode guerrear ou se envolver em agressão contra a Ucrânia ou qualquer outra pessoa.”

Questionada para esclarecer se os Estados Unidos acreditam que Putin deve permanecer no poder, Smith voltou-se para o ponto de discussão da Casa Branca de que “o governo completo, incluindo o presidente, acredita que não podemos capacitar Putin agora para travar uma guerra na Ucrânia ou perseguir esses atos de agressão”.

Smith não concordou que a rápida volta das autoridades da Casa Branca sobre os comentários do presidente mostrem que seus assessores o estão enfraquecendo no cenário mundial. Para ela, as autoridades “se sentem ótimas” com a viagem instantânea do presidente.

Falas polêmicas

Em pronunciamento na noite de sábado, na Polônia, Biden chamou o presidente russo de “ditador” e atacou o presidente russo pela operação do Kremlin que levou à Guerra na Ucrânia. Ele disse que Putin “não pode continuar no poder”. Ao mesmo tempo, Biden direcionou palavras especialmente aos cidadãos russos, afirmando que a população não é considerada inimiga do Ocidente.

Antes do discurso da noite, o sair do encontro com refugiados, Biden falou com a imprensa e xingou Putin ao ser questionado sobre o que ele acha da atitude do presidente da Rússia sobre a Ucrânia. “Ele é um açougueiro”, declarou o presidente dos EUA.

O Kremlin rejeitou as falas de Biden sobre Putin no poder da Rússia. “Não cabe a Biden decidir. O presidente da Rússia é eleito pelos russos”, declarou o Kremlin e, sobre o xingamento após a visita aos refugiados, o governo russo declarou que a fala do presidente norte-americano “diminui a possibilidade de reparar relações”.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Após falas de Biden, Otan também diz que não há política para mudar regime russo no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.