Laudo detecta antidepressivos, maconha e opioides no corpo de Taylor Hawkins


Os primeiros resultados da perícia realizada no corpo do baterista do Foo Fighters, Taylor Hawkins, detectaram a presença de ao menos dez substâncias diferentes em sua urina. O músico teve a morte anunciada pela banda neste sábado (26).

Entre elas, estavam THC (substância presente na maconha), antidepressivos, o ansiolítico benzodiazepina e opioides, de acordo com laudo divulgado na noite deste sábado pela Procuradoria-Geral da República da Colômbia, órgão equivalente ao Ministério Público Federal do Brasil.

Hawkins morreu em um hotel em Bogotá, na Colômbia. A banda estava no país para se apresentar em um festival de música na sexta.

“O Instituto Nacional de Medicina Legal [da Colômbia] continua com os estudos médicos para ter o total esclarecimento dos acontecimentos que levaram à morte de Taylor Hawkins”, afirma o comunicado, publicado nas redes sociais da Procuradoria colombiana.

“A Procuradoria-Geral continuará com as investigações e informará os resultados obtidos de maneira oportuna”, acrescenta o documento.

Mais cedo, um comunicado do Departamento de Saúde de Bogotá informou que uma ambulância foi enviada ao hotel depois que uma ligação de emergência relatou que um homem estava com dores no peito.

“Hawkins não respondeu ao CPR [sigla para reanimação cardiopulmonar] e foi declarado morto”, disse o informe do departamento.

O grupo estava programado para se apresentar neste domingo (27) no Lollapalooza Brasil, em São Paulo. A organização do festival informou que o Foo Fighters cancelou toda a turnê sul-americana. A banda estava programado para encerrar o dia no palco principal. Um show especial em homenagem ao músico será comandado pelo rapper Emicida e pela banda Planet Hemp.

 

Este conteúdo foi originalmente publicado em Laudo detecta antidepressivos, maconha e opioides no corpo de Taylor Hawkins no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.