Neymar volta à seleção em nova função após semana de polêmicas


Protagonista de um turbilhão de polêmicas nas últimas semanas, mais especificamente desde a eliminação do PSG para o Real Madrid na Liga dos Campeões, Neymar segue sendo a maior esperança do Brasil para a disputa da Copa do Mundo. Destaque do país desde que surgiu profissionalmente aos 17 anos, o atacante vive fase conturbada, em meio a problemas físicos e polêmicas extracampo, e longe de repetir o rendimento de outras temporadas. De volta à seleção brasileira após lesão, ele deve ser utilizado por Tite em uma nova posição, como “falso 9” na partida contra o Chile, nesta quinta-feira, 24, às 20h30, pelas Eliminatórias. Eis a chance de dar a volta por cima e, de quebra, abrir novos horizontes táticos para o grupo.

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

Escolhido pela imprensa francesa como vilão da eliminação do PSG na Champions, o brasileiro foi alvejado nas últimas semanas. No caso de maior repercussão, o jornalista Daniel Riolo, do canal RMC Sports, criticou duramente o comprometimento do atleta: “Neymar quase não treina. Chega num estado lamentável, no limite de estar bêbado.” O brasileiro não respondeu, mas foi defendido pelo companheiro Lucas Paquetá, que apontou desrespeito e disse não acreditar nas acusações.

Neymar não tem sido mais aquele ponta veloz, ágil e driblador. Aos 30 anos, o brasileiro tem mostrado um ritmo mais baixo e se adaptado a uma característica de armação. Passes precisos, lançamentos e a facilidade de achar uma bola em profundidade fizeram com que a versão “meia” do jogador fosse exaltada. Só nas Eliminatórias, em nove partidas, o camisa 10 tem oito assistências, além de boas médias de passes para finalização, incluindo partidas pelo PSG.

Continua após a publicidade

Mas há um porém. Menos intenso do que nos últimos anos, o camisa 10 pode deixar a desejar na recomposição, além de faltar explosão em jogadas que exigem mais. Como meia, chega a ficar longe do gol adversário, dependendo da ocasião.

Na busca de encontrar variações para a disputa da Copa, Tite deve fazer de Neymar uma peça criativa, centralizada e com poucas obrigações defensivas, o que não anula a necessidade de pressionar o adversário e fechar linhas de passe. Ao lado de dois pontas abertos, o astro do PSG deve atuar como “falso 9”, ou seja, um atacante livre para recuar, atrair marcadores e fazer as vezes de armador.

Neymar não vive lua de mel com o torcedor brasileiro –Lucas Figueiredo/CBF

Tite já respondeu sobre o uso do termo, em entrevista coletiva. “Eu não gosto de usar falso 9, é verdadeiro (risos). É um atacante com liberdade criativa.” A mudança de posicionamento de Neymar pode fazer bem para outro jogador: Vinicius Júnior. O jovem atleta vive boa fase no Real Madrid, atuando pelo lado esquerdo do ataque. Agora, pode ter a oportunidade de um contexto favorável, para cravar de vez a vaga no Mundial. Outro atleta que pode ser beneficiado é Antony, que deve receber chance na ponta direita após o corte de Raphinha por Covid-19.

Já classificado para a Copa do Mundo, o Brasil entra em campo contra o Chile a partir das 20h30 no Maracanã. A seleção não joga no estádio desde a final da Copa América, quando foi derrotada pela Argentina. O Brasil deve ir a campo com: Alisson, Danilo, Marquinhos, Thiago Silva, Guilherme Arana; Casemiro, Fred e Paquetá; Antony, Neymar e Vinicius Jr.

Ainda não assina Star+?! Clique aqui para se inscrever e ter acesso a jogos ao vivo, séries originais e programas exclusivos da ESPN!

Continua após a publicidade


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.