Brasil registrou mais de 68 mil novos casos de tuberculose em 2021, diz Saúde


O Dia Mundial da Tuberculose, celebrado nesta quinta-feira (24), chama atenção para a doença que atinge milhares de pessoas em todo o mundo. Todos os dias, mais de 4.100 pessoas perdem a vida devido à tuberculose e cerca de 30 mil adoecem no mundo. O alerta foi feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta semana.

Nesta quinta-feira, o Ministério da Saúde divulgou novos dados da tuberculose no país. Em 2021, foram registrados 68.271 casos novos de tuberculose. Em 2020, foram registrados 68.939 casos novos. Em 2020, ocorreram 4.543 mortes pela doença, sendo que em 2019 foram registrados 4.532 óbitos.

Amazonas, Rio de Janeiro e Roraima foram os estados que apresentaram os maiores índices da doença. Em relação à mortalidade, os índices foram superiores nos estados do Rio de Janeiro, Acre e Amazonas.

Segundo o ministério, nos anos de 2020 e 2021 foi observada queda acentuada na incidência de tuberculose, em comparação com os anos anteriores da série histórica. Além disso, homens de 20 a 34 anos apresentaram quase três vezes mais risco de adoecimento, quando comparado a mulheres na mesma faixa etária.

Para as pessoas vivendo com HIV, a coinfecção por tuberculose é a principal causa de óbitos. Segundo o ministério, 52.471 pessoas com a doença realizaram testagem para o HIV em 2021. Os dados apontam que 2.631 pessoas com a coinfecção realizam o tratamento antirretroviral.

O Distrito Federal, Rio Grande do Sul e Santa Catarina apresentaram as maiores proporções de coinfecção entre tuberculose e HIV.

O Sistema Único de Saúde (SUS) ofereceu cerca de 90 mil tratamentos com o esquema básico para a tuberculose em 2021.

Diagnóstico

Houve um aumento de 12,9% na realização de exames para o diagnóstico de tuberculose em 2021, quando comparado a 2020 (380 mil). Além disso, 72,3% dos novos casos da doença diagnosticados em 2021 foram confirmados por critério laboratorial.

No segundo semestre de 2021, foram realizados 223 mil testes rápidos moleculares para tuberculose, sendo 6,6% superior ao observado em 2019 e 24,4% em relação a 2020.

Sobre a tuberculose

A tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível, causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, também conhecida como bacilo de Koch. A doença afeta principalmente os pulmões, embora possa acometer outros órgãos.

A forma extrapulmonar, que afeta outros órgãos que não o pulmão, ocorre mais frequentemente em pessoas vivendo com HIV, especialmente aquelas com comprometimento imunológico.

A transmissão acontece por via respiratória, pela eliminação de aerossóis produzidos pela tosse, fala ou espirro de uma pessoa com tuberculose ativa, sem tratamento. A doença não é transmitida por objetos compartilhados.

Os sintomas incluem tosse por três semanas ou mais, febre vespertina, suor noturno e emagrecimento. O diagnóstico é realizado a partir de diferentes métodos, sendo subdividido em diagnóstico clínico, diferencial, bacteriológico, imagem, histopatológico e por outros testes.

O tratamento, que dura no mínimo seis meses, pode ser feito com o uso de quatro medicamentos: rifampicina, isoniazida, pirazinamida e etambutol.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Brasil registrou mais de 68 mil novos casos de tuberculose em 2021, diz Saúde no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.