Guerra interrompe colaboração espacial entre ESA e Roscosmos


A invasão da Ucrânia pela Rússia causou estragos também na exploração espacial. A parceria entre a Agência Espacial Europeia (ESA) e sua similar russa, Roscosmos, foi suspensa ontem (17) até segunda ordem, interrompendo projetos como a missão ExoMars, de exploração de Marte. Eis a íntegra do release:

“Como organização intergovernamental encarregada de desenvolver e implementar programas espaciais em pleno respeito pelos valores europeus, lamentamos profundamente as baixas humanas e as trágicas consequências da agressão à Ucrânia. Embora reconheça o impacto na exploração científica do espaço, a ESA está totalmente alinhada com as sanções impostas à Rússia pelos seus Estados-Membros.

ExoMars

O Conselho Governante da ESA, reunido em Paris de 16 a 17 de março, avaliou a situação decorrente da guerra na Ucrânia em relação ao ExoMars e por unanimidade:

* reconheceu a atual impossibilidade de realizar a cooperação em andamento com a Roscosmos na missão do rover ExoMars com lançamento em 2022 e mandatou o diretor geral da ESA para tomar as medidas apropriadas para suspender as atividades de cooperação em conformidade;

* autorizou o diretor geral da ESA a realizar um estudo industrial acelerado para definir melhor as opções disponíveis para um caminho a seguir para implementar a missão do rover ExoMars.

Transporte espacial

Após a decisão da Roscosmos de retirar seu pessoal do Espaçoporto Europeu na Guiana Francesa, todas as missões programadas para lançamento pela Soyuz foram suspensas. Estas dizem respeito essencialmente a quatro missões institucionais para as quais a ESA é a entidade de aquisição de serviços de lançamento (Galileo M10, Galileo M11, Euclid e EarthCare) e um lançamento institucional adicional.

Consequentemente, o diretor geral da ESA iniciou uma avaliação sobre potenciais serviços alternativos de lançamento para essas missões, que incluirão uma revisão dos primeiros voos de exploração do Ariane 6. Um manifesto de lançamento robusto para as necessidades de lançamento das missões da ESA, inclusive para naves espaciais originariamente planejadas para lançamento pela Soyuz de Kourou, será apresentado aos Estados-Membros.  

A Estação Espacial Internacional

O Programa da Estação Espacial Internacional continua a operar nominalmente. O principal objetivo é continuar as operações seguras da ISS, incluindo a manutenção da segurança da tripulação.

Caminho a seguir

Com base em uma primeira análise dos impactos técnicos e programáticos em todas as outras atividades afetadas pela guerra na Ucrânia, o diretor geral pretende convocar uma sessão extraordinária do Conselho nas próximas semanas para apresentar propostas específicas para decisão dos Estados-Membros.”

O post Guerra interrompe colaboração espacial entre ESA e Roscosmos apareceu primeiro em Planeta.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.