Dono de franquia do Burger King na Rússia se recusa a fechar 800 restaurantes


O Burger King está tentando suspender suas operações na Rússia, mas isso se mostra difícil. Um parceiro de negócios que controla 800 restaurantes “se recusou” a fechá-los, disse a empresa.

A rede de hambúrgueres, de propriedade da Restaurant Brands International, tem uma parceria de joint venture com o empresário Alexander Kolobov na Rússia.

O RBI controla apenas 15% de seus negócios russos do Burger King, e Kolobov é responsável pelas “operações e supervisão do dia-a-dia” de seus locais no país. Isso significa que o Burger King não pode simplesmente estalar os dedos e fechar a loja.

“Iniciamos o processo para alienar nossa participação acionária no negócio”, disse David Shear, presidente das operações internacionais da RBI, em carta aberta.

“Embora gostaríamos de fazer isso imediatamente, está claro que levará algum tempo para fazê-lo com base nos termos de nosso contrato de joint venture existente”.

O McDonald’s, por outro lado, possui mais de 80% de seus restaurantes na Rússia. Isso facilitou significativamente a saída do país.

Shear disse que o RBI “exigiu” que a joint venture fechasse imediatamente o Burger Kings, mas Kolobov “se recusou a fazê-lo”.

O Burger King entrou na Rússia há cerca de uma década, operando a joint venture com Kolobov, Investment Capital Ukraine e VTB Capital, um banco russo que foi atingido por sanções.

Shear explicou que um “processo legal complicado” está impedindo o fechamento da parceria e dos negócios.

“Não há cláusulas legais que nos permitam alterar unilateralmente o contrato ou permitir que qualquer um dos parceiros simplesmente abandone ou anule todo o acordo”, disse Shear. “Nenhum investidor sério em qualquer setor do mundo concordaria com um relacionamento comercial de longo prazo com cláusulas de rescisão frágeis.”

Na semana passada, o Burger King retirou o apoio corporativo de seus negócios na Rússia, incluindo a suspensão de operações, marketing e assistência à cadeia de suprimentos.

Esta edição destaca os problemas que algumas empresas e bancos ocidentais enfrentam ao sair da Rússia, complicados por joint ventures ou parcerias sobre as quais eles não têm controle total. Por exemplo, um franqueado Papa Johns na Rússia se recusou a fechar cerca de 200 locais, mesmo depois que a rede de pizzarias suspendeu o suporte corporativo para isso.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Dono de franquia do Burger King na Rússia se recusa a fechar 800 restaurantes no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.