PF tem novo diretor de investigação e combate ao crime organizado


A diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado (Dicor), da Polícia Federal (PF), está sob novo comando a partir desta quinta-feira (17). O atual diretor da PF, Márcio Nunes, escolheu o delegado Caio Pellim para liderar o setor, conforme antecipado pela CNN.

Pellim já atuou na repressão ao tráfico de armas e drogas enquanto esteve no Mato Grosso do Sul e exerceu o cargo de superintendente da PF no Ceará.

A nomeação de Pellim foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta quinta. Ele substitui o delegado Luís Flávio Zampronha, que estava à frente da Dicor há quase um ano.

A Dicor é vista como um setor sensível da PF porque investiga parlamentares envolvidos com desvio de dinheiro público – e é também considerada uma diretoria de prestígio na instituição por incorporar a Coordenadoria de Inquéritos Especiais (CINQ), que cuida das investigações que envolvem autoridades e pessoas com foro privilegiado.

Outro nomeação que consta do DOU desta quinta é o da delegada Mariana Paranhos Calderon, que exercerá a função de diretora de gestão de pessoal, em substituição a Oswaldo Gomide. No fim do mês de fevereiro, Bolsonaro trocou o comando da PF. O então diretor-geral, Paulo Maiurino, foi dispensado e Márcio Nunes, que atuava como superintendente regional da PF no Distrito Federal, foi nomeado para o cargo.

Segundo relatos feitos à CNN por fontes da PF, o então comandante da corporação foi informado de sua saída poucas horas antes da publicação da mudança no Diário Oficial da União.

Este conteúdo foi originalmente publicado em PF tem novo diretor de investigação e combate ao crime organizado no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.