Maioria das pessoas não conhece os sintomas de Alzheimer precoce, diz pesquisa


Se você não está familiarizado com o termo “deficiência cognitiva leve”, você não é o único. Mais de 80% dos norte-americanos não conhecem essa condição, que afeta até 18% das pessoas com 60 anos ou mais e que pode levar à doença de Alzheimer, segundo uma nova pesquisa.

O comprometimento cognitivo leve (CCL) é ​​um estágio inicial de perda sutil de memória ou outra perda de capacidade cognitiva, como linguagem ou percepção visual/espacial, de acordo com pesquisa publicada na terça-feira (15) para um relatório dos Fatos e Números da Doença de Alzheimer de 2022 da Associação de Alzheimer.

Os sinais podem ser graves o suficiente para serem percebidos pela pessoa afetada e seus entes queridos, mas também podem ser leves a ponto de que a pessoa afetada possa manter sua capacidade de realizar a maioria das atividades da vida diária.

Muitas pessoas confundem essa deficiência com o envelhecimento normal, mas é diferente –cerca de um terço das pessoas com deficiência cognitiva leve desenvolvem demência devido à doença de Alzheimer em cinco anos, de acordo com a pesquisa.

Dependendo do tipo de CCL, o paciente pode ter problemas para lembrar conversas, acompanhar as coisas, manter sua linha de pensamento durante, transitar em um lugar geralmente familiar ou concluir tarefas cotidianas, como pagar uma conta.

Para entender melhor a conscientização, diagnóstico e tratamento do CCL nos Estados Unidos, a Associação de Alzheimer encomendou uma pesquisa com mais de 2.400 adultos e 801 médicos de cuidados primários no fim do ano passado. Todas as perguntas respondidas online ou por telefone.

Mais de 80% dos participantes inicialmente tinham pouca ou nenhuma familiaridade com o CCL. Então, quando informados sobre o que era a patologia, mais de 40% disseram estar preocupados em desenvolver a condição no futuro.

“Foi surpreendente validar que tanto o público quanto os médicos de cuidados primários são desafiados nas distinções entre comprometimento cognitivo leve e o que é considerado ‘envelhecimento normal’”, disse Morgan Daven, vice-presidente de sistemas de saúde da Alzheimer’s Association. “Esses resultados ressaltam quanto trabalho devemos fazer para continuar a educar.”

Cerca de 85% dos adultos disseram que gostariam de saber precocemente se tinham a doença de Alzheimer para que pudessem planejar, tratar os sintomas mais cedo, tomar medidas para preservar a função cognitiva ou entender o que está acontecendo, segundo a pesquisa.

Mas apesar desse senso de urgência, esses adultos também mostraram relutância em obter aconselhamento profissional se começassem a apresentar sintomas.

Apenas 40% disseram que falariam com seu médico imediatamente se apresentassem sintomas de CCL. As preocupações em obter ajuda incluíam a possibilidade de receber o diagnóstico ou tratamento errado, saber de um problema de saúde grave ou acreditar que os sintomas podem desaparecer.

O que causa comprometimento cognitivo leve

Vários fatores podem contribuir para o CCL. Portanto, comprometimento é mais um termo abrangente do que uma condição específica, de acordo com a pesquisa.

“Pode ser causado por coisas que são reversíveis, como deficiências de vitaminas ou condições médicas como disfunção da tireoide”, disse Richard Isaacson, diretor da Clínica de Prevenção de Alzheimer no Centro de Saúde do Cérebro da Faculdade de Medicina Schmidt da Florida Atlantic University.

“Algumas causas melhoram e outras pioram. Quando uma pessoa tem uma demência neurodegenerativa, obviamente, tende a declinar.”

Outras causas possíveis incluem efeitos colaterais de medicamentos; privação de sono; ansiedade; distúrbios neurológicos ou psiquiátricos; genética; distúrbios sistêmicos, como pressão alta; acidente vascular cerebral ou outra doença vascular; e traumatismo cranioencefálico.

Em geral, a variedade de fatores, sintomas amplos e a falta de um teste de CCL podem tornar o diagnóstico de CCL difícil e desconfortável para muitos médicos, como mostraram os resultados.

Protegendo seu cérebro

Quando os médicos detectam o CCL, geralmente recomendam mudanças no estilo de vida, fazem exames de laboratório ou encaminham os pacientes para um especialista, escreveram os autores.

“As pessoas podem assumir o controle de sua saúde cerebral fazendo mudanças ativas em sua vida diária”, disse Isaacson. “Não se trata apenas de exercícios, dieta, sono e controle do estresse, mas também de condições médicas que os médicos da atenção primária podem ajudar a otimizar e tratar –como pressão alta, colesterol alto e diabetes”.

“Não somos impotentes na luta contra a perda de memória e declínio cognitivo”, acrescentou.

Mesmo com medo, consultar um médico imediatamente é a coisa mais importante que as pessoas que sofrem alterações cognitivas podem fazer, disse Daven. “O diagnóstico precoce é importante e oferece a melhor oportunidade para gestão e tratamentos.”

 

Este conteúdo foi originalmente publicado em Maioria das pessoas não conhece os sintomas de Alzheimer precoce, diz pesquisa no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.