Falta de Benzema em Donnarumma? Ex-árbitros opinam em lance polêmico de Real Madrid x PSG


No lance do primeiro gol do Real Madrid, Benzema dividiu com Donnarumma e alguns acharam que houve falta na jogada

Nesta quarta-feira (09), o Real Madrid venceu o Paris Saint-Germain de virada por 3×1, dentro do Santiago Bernabéu, e conseguiu se classificar às quartas de final da Champions League fazendo 3×2 no placar agregado.

No lance do primeiro gol do time espanhol, anotado por Karim Benzema em assistência de Vinícius Júnior, alguns jogadores do PSG reclamaram de falta do centroavante francês sobre o goleiro italiano Gianluigi Donnarumma.

O arqueiro tentou sair jogando com os pés, mas foi travado pelo camisa 9 e acabou caindo no gramado, deixando o gol vazio. Na sequência da jogada, Vini Jr. ficou com a bola e rolou para Benzema balançar as redes. Veja o lance no vídeo abaixo:

Mas foi falta de Benzema em Donnarumma? 

O “UOL” falou com três ex-árbitros brasileiros sobre este lance, sendo que dois deles acreditam que não houve falta: Renato Marsiglia e Carlos Eugênio Simon. Já Alfredo Loebeling acha que teve sim infração na jogada.

“Para mim, a falta é clara. A regra fala que a bola pode ser disputada, inclusive com o goleiro, se for ombro a ombro, e não foi o caso. O braço do Benzema, como ele vem em velocidade, obviamente a força dele já é desproporcional, maior que a do Donnarumma, que está parado. Se você olhar bem o lance, tem um braço nas costas. Não foi uma jogada de ombro com ombro”, disse Loebeling, que, mesmo assim, elogiou a não interferência do VAR.

“Por que o VAR não interferiu, então? Porque não é um erro grosseiro. É um lance interpretativo. Aquele braço foi suficiente para deslocar o goleiro ou não? Porque não foi um erro grosseiro, por isso que o VAR não interfere. Mantém a decisão de campo”, acrescentou.

Para eles, não houve falta

Renato Marsiglia, comentarista de arbitragem da TV Record, avaliou de outra maneira. “Para mim, não houve a falta no Donnarumma. O raciocínio que tem de ser feito é o seguinte: se não fosse o goleiro que colocou a bola em jogo, se fosse um outro jogador qualquer e sofresse aquele tipo de carga, seria falta? Para mim, não”, comentou.

“Então, se não é falta em outro jogador, também não é no goleiro. A única prerrogativa que o goleiro tem em relação aos demais jogadores é colocar a mão na bola dentro da sua grande área. Fora isso, ele é um jogador como qualquer outro”, continuou.

“Donnarumma recebeu a bola e a manteve em disputa no chão. A bola estava em jogo. Qualquer um poderia disputar a bola com ele, e foi o que o Benzema fez. Para mim, a carga do Benzema não foi faltosa, como não seria sobre um outro jogador. É esse o raciocínio que tem de se fazer. Não pensar que o goleiro tem prerrogativas a mais sob os demais jogadores na disputa de bola. Não tem”, finalizou Marsiglia

Carlos Eugênio Simon, que trabalha nos canais Disney, corroborou o discurso de Marsiglia. “Para mim, a arbitragem acertou. Gol legal. A regra é interpretativa. Foi uma pexotada do goleiro. O Benzema dá o tranco e não foi faltoso”, avaliuou.

“Se ver a análise do jogo, teve 21 faltas. O critério da arbitragem foi mandar seguir. Dentro do critério do árbitro, esse tipo de jogada ele não estava marcando. Foi mais uma lambança, uma pixotada. Decisão correta do árbitro e do VAR, que não tem que se meter”, concluiu Simon.

Falta de Benzema em Donnarumma? Ex-árbitros opinam em lance polêmico de Real Madrid x PSGTorcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.