Tropas russas quase destroem obras da maior artista ucraniana do século 20


Maria Prymachenko não é apenas uma das grandes artistas autodidatas do século 20, ela é um ícone da identidade nacional ucraniana. Suas pinturas fantásticas, elogiadas durante sua vida por nomes como Pablo Picasso, agora são encontradas em alguns dos museus mais importantes do país. Seu trabalho também foi destaque em selos postais e sua imagem é imortalizada em moedas comemorativas.

Mas 25 anos após sua morte, a invasão russa está ameaçando o legado de Prymachenko. Na semana passada, o Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia disse que várias das pinturas da artista estavam entre as destruídas em um museu em sua região natal de Ivankiv, cerca de 80 quilômetros a noroeste da capital Kiev, após um ataque das forças russas.

Um vídeo amplamente divulgado on-line parece mostrar as chamas envolvendo a instituição de um andar, que anteriormente havia descrito o trabalho de Prymachenko como o “orgulho do museu”. Suas representações de flora e fauna de cores vivas e quase infantis – assim como de agricultores cuidando das plantações e arando campos – estavam entre os itens inicialmente considerados perdidos.

Mas desde então surgiram relatos sugerindo que um ato de bravura pode ter salvado mais de uma dúzia de suas obras do incêndio. De fato, a Fundação Família Maria Prymachenko, que administra o catálogo da artista e é administrada por sua bisneta Anastasiia, acredita que todas as pinturas de Prymachenko do museu foram resgatadas do prédio por um morador local.

“Um homem heroico conseguiu tirar as pinturas do incêndio”, disse a advogada Natalia Gnatiuk, uma das sócias da fundação, por telefone do oeste da Ucrânia, onde se refugiou. “Há 14 deles, mas ainda não estão seguros.” No entanto, acredita-se que duas obras de cerâmica foram destruídas.

A CNN não conseguiu confirmar de forma independente essa informação. E enquanto Gnatiuk disse que sua fundação estava em contato regular com o homem, desde então eles perderam contato enquanto os combates continuam nos subúrbios ao norte de Kiev. Ela se recusou a nomeá-lo ou comentar sobre o possível paradeiro da arte, temendo pela segurança de ambos.

“Depois que esta guerra terminar, esta é a primeira história heroica que contaremos”, acrescentou.

“Eles odeiam nossa cultura”

Pinturas de Prymachenko em exposição na galeria de arte Mystetsky Arsenal em Kiev, Ucrânia, em 2016 / AP

As pinturas de Prymachenko são consideradas um exemplo proeminente da “naïve art” europeia, um termo usado para descrever o trabalho de artistas sem treinamento formal. Nascido na pobreza em 1908, a pintora ascendeu de origens humildes para ganhar o prestigioso título de Artista do Povo da Ucrânia em 1970, quando o país estava sob controle soviético.

Embora mais conhecida dentro de seu país natal, o trabalho de Prymachenko foi exibido em cidades da Europa durante sua carreira de quase seis décadas. Em 1936, depois de visitar uma exposição de suas pinturas em Paris, é amplamente relatado que Pablo Picasso disse: “Eu me curvo diante do milagre artístico desta brilhante ucraniana”.

Mas enquanto Prymachenko ganhou atenção internacional significativa, seu trabalho estava firmemente enraizado na estética ucraniana. Tendo aprendido artes folclóricas como bordados e decoração de ovos de Páscoa antes de começar a pintar telas na década de 1930, ela foi fortemente influenciada pelas tradições artesanais da Ucrânia, bem como pelo folclore, vida selvagem e motivos tradicionais.

As recentes afirmações do presidente russo, Vladimir Putin, de que o país faz parte histórica e culturalmente da Rússia – um pretexto para a invasão – levaram a temores de que seus militares possam tentar destruir exemplos das tradições artísticas únicas da Ucrânia. Por esta razão, Gnatiuk acredita que o museu em Ivankiv foi um alvo direto, não uma vítima de danos colaterais.

“Tenho certeza de que foi intencional”, disse ela. “Foi o primeiro edifício (destruído em Ivankiv) e a tarefa dos ocupantes é destruir nossas raízes ucranianas, destruir nossa cultura ucraniana – eles odeiam isso. E Maria Prymachenko não é apenas o símbolo de Ivankiv ou o símbolo da Ucrânia, mas um símbolo do mundo inteiro hoje. Tenho certeza de que foi de propósito.”

De acordo com Gnatiuk, cerca de um terço das 3.000 pinturas que Prymachenko produziu em sua vida são encontradas em museus ucranianos, com o restante em coleções particulares dentro do país. O Museu Nacional de Arte Decorativa Folclórica Ucraniana de Kiev conta com mais de 600 de suas criações em sua coleção de 80.000 itens.

Falando via Facebook, a equipe do museu de Kiev disse à CNN que estão “fazendo o possível para salvar a coleção”. Enquanto isso, o Conselho Internacional de Museus pediu ao público ucraniano que ajude a proteger o patrimônio cultural, dizendo em comunicado que “convida os membros da sociedade civil a entrar em contato com seus museus locais para ajudá-los, se possível, com as formas e meios de proteger seus edifícios e coleções.”

Símbolo da esperança

Com as notícias do ataque ao museu Ivankiv se espalhando rapidamente pelo mundo na semana passada, ativistas e organizações artísticas estrangeiras têm procurado divulgar o trabalho de Prymachenko como um ato de solidariedade.

Em particular, sua pintura de 1982, “Uma pomba abriu suas asas e pede paz” – embora não esteja entre as da malfadada coleção do museu -, está ganhando força como um símbolo de esperança para o país.

Em St. Louis, Missouri, a artista Maria Carmen Knecht recriou a imagem como um mural de rua. Enquanto isso, um grupo chamado Justice Murals projetou uma imagem da pintura, entre uma seleção de outras obras de Prymachenko, na lateral de um prédio em Oakland, Califórnia.

Em um comício em San Francisco no domingo, seis artistas e mais de 100 participantes recriaram a imagem como um mural de 23 pés de largura do lado de fora do Ferry Building da cidade. A mensagem “Pare a guerra na Ucrânia” foi pintada em azul logo acima.

“A guerra russa na Ucrânia está tentando destruir a cultura, então o que podemos fazer é torná-la maior e global”, disse o organizador de artes David Solnit, que ajudou a coordenar a última iniciativa, em entrevista por telefone. “Eles podem incendiar o museu, mas vamos torná-lo maior e voltar. É um desejo de mostrar um pouco de amor e solidariedade à Ucrânia.”

Descrevendo uma pomba branca contra um fundo floral vibrante, a pintura comunica um símbolo universalmente reconhecido e uma mensagem específica para o país de origem de Prymachenko, acrescentou Solnit.

“É um sinal global de paz, não de guerra, mas muito ao estilo tradicional ucraniano”, disse ele. “A beleza das artes tradicionais ucranianas conquistou muitas pessoas aqui.”.

Este conteúdo foi originalmente publicado em Tropas russas quase destroem obras da maior artista ucraniana do século 20 no site CNN Brasil.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.